POESIA

Ramon Nunes Mello

Canto sobre as ruínas da cidade
(ou clamor ao povo da mata)

                                                           para Amora Pera e Pedro Rocha

 

no meio do rio
enxergamos apenas os
escombros de uma cidade em ruínas
onde dançamos nosso medo e
revolta

sem saber
                              para onde ir?
o poeta dançarino
foge para o coração da mata
clama por proteção
oke oke oxóssi

caboclo senhor da floresta
abra um caminho de
autocompreensão
entre os restos de
nós mesmos

sem rumo nem memória
                                          vagamos
entre as cinzas
de um futuro incerto
agora com o arco e flecha
na mão
o poeta cantador toca seus tambores
para chamar o povo de rua
o povo nas ruas
traz a história no verso
no canto no grito
ri ro ewá

bela virgem rainha do céu estrelado
e do cosmos que xangô se apaixonou
senhora da vidência e criatividade
mãe floresta levante a força
do feminino
nossos sonhos de séculos
não estão destruídos
cada mosaico dessa história
está em suas
raízes

procuramos a terceira margem
do rio pensamos que
                                 estamos sós
até ouvir seu canto
como uma oração

de resistência


*Reproduzido de https://revistagueto.com

Ramon Nunes Mello, poeta brasileiro

 


Voltar  

Confira também nesta seção:

Agenda Cultural

Veja Mais

Newsletter

Preencha o formulário abaixo para receber nossa newsletter:

  • Nome:

  • Email:

  • assinar

  • cancelar


Copyright © 2012 Tyrannus Melancholicus - Todos os direitos reservadosTrinix Internet