POESIA

Roberto Prado

Buraco negro*

 

de tudo 
que mais amo
eu tiro o som

 

falo o que cala fundo
para que o poema,
buraco negro,
diga o que eu sou

 

por mais absurdo
só sobra cinema mudo
daquilo que eu acho bom

 


*Reproduzido de http://www.antoniomiranda.com.br

 

Roberto Prado, poeta brasileiro

 


Voltar  

Confira também nesta seção:

Agenda Cultural

Veja Mais

Newsletter

Preencha o formulário abaixo para receber nossa newsletter:

  • Nome:

  • Email:

  • assinar

  • cancelar


Copyright © 2012 Tyrannus Melancholicus - Todos os direitos reservadosTrinix Internet