LANÇAMENTO

De Eduardo Sens, promotor e escritor



capa

 

Um promotor tem diante de si mais um caso criminal, em que seu papel é o da acusação. Seria mais um caso em sua carreira, não fosse este fato conflitante: o réu à sua frente é um amigo de infância, acusado pelo assassinato de um pai de família.

A partir desse reencontro inusitado, uma profusão de pensamentos e lembranças leva o protagonista a se ver também no papel de réu. No tribunal da memória, resurge um doloroso episódio que o marcou na infância, pelo qual ele se sente responsável. Revisitando o passado, o promotor busca, por sua vez, provar a si mesmo a própria inocência. Com este mote, Eduardo Sens desenvolve a trama do seu novo romance, “De quando éramos iguais”, que acaba de ser lançado pela Editora Penalux.

O autor dá mais detalhes sobre o enredo: “O livro narra um júri na visão de um promotor de justiça de meia idade. Ele é conservador, possui prêmios honorários. Então surge esse réu, que foi seu amigo de infância. Os dois brincavam quando crianças, mas desde então, ou seja, há mais de trinta anos, não se viam. À época, o pequeno amigo morava numa favela próxima à sua casa, num bairro de classe média”. 

Para Sens, a ideia principal é debater a questão da meritocracia. “Como, com começos tão diferentes, as pessoas querem igualar as vidas? Um criminoso e um promotor. Que bifurcações as vidas desses dois personagens tomaram para estarem agora em lados tão opostos?”, propõe. 

Além dessas questões, o livro também discute o preconceito racial e a importância da posição social para que se tenha um julgamento justo. Nas palavras do autor “é um retrato de um país de desigualdades complexas”. 

Dinâmica, com capítulos curtos, a trama já conquistou leitores antes mesmo de sua publicação.

“Não se trata apenas de um romance jurídico”, diz o poeta e editor Marcelo Labes, um dos primeiros leitores a ler a história. “Não há na narrativa de Eduardo Sens intenção de comover o leitor com palavras escolhidas de antemão, mas uma honestidade doída no contar dos fatos. Terminei de ler com lágrimas nos olhos e um arrepio que demorou a passar”. 

 “Tive a oportunidade de ler esse romance enquanto ele ainda era um manuscrito. Eduardo Sens investe na construção de personagens consistentes, repletos de qualidades contrastantes que os tornam críveis e humanos, além de conduzir com mão firme os constantes retrocessos e avanços temporais que não apenas tornam a história mais dinâmica como trazem tudo aquilo que é fundamental para compreender tais personagens”. (André Timm, escritor finalista do Prêmio São Paulo de Literatura 2017)

O livro pode ser adquirido no site da Editora Penalux e nas plataformas de e-commerce (Amazon, Lojas Americanas, Submarino, Mercado Livre, Submarino e Estante Virtual). (*com assessoria)

 


Voltar  

Confira também nesta seção:

Agenda Cultural

Veja Mais

Últimas Notícias

Mais Notícias

Newsletter

Preencha o formulário abaixo para receber nossa newsletter:

  • Nome:

  • Email:

  • assinar

  • cancelar


Copyright © 2012 Tyrannus Melancholicus - Todos os direitos reservadosTrinix Internet