CONTO

32 dentes



A mesma inquietação sufocante no ar pesado da noite permanecia suspensa sobre minha cabeça, agora estendida em uma cama, outrora esborrachada sobre a calçada. O sangue coagulado entranhou nos dentes. As narinas doíam e sangravam com o atrito do ar. O oxigênio deslizava ressecado pela garganta dolorida e feria meus pulmões. 

Estava sonhando que recitava Ilíada diante de um espelho e meus dentes caíam todas as vezes em que esquecia um trecho. O mais estranho é que nunca li a Ilíada. Fiquei banguela.

"Canta-me a cólera — ó deusa — funesta de Aquiles Pelida..." 

Foram minhas primeiras palavras ao despertar nauseado. Fiquei lá deitado repetindo: Canta-me a cólera Canta-me a cólera Canta-me a cólera.

Senti meus molares cariados, pontiagudos, cravados no osso. Enquanto deslizava a língua por toda a dimensão da boca, esbarrando em aftas e dois recentes vãos, abertos a socos e pontapés, lembrava-me que já era um homem. Sim, um homem que possuía uma arcada dentária completa e saudável, como a de poucos homens, que pouco lhes restam na boca, a não ser lamentações e gemidos. 

Uma arcada que me permitia sorrir. Melhor exibi-la antes que mais alguns golpes, me deixem sem a única coisa da qual ainda posso me orgulhar. Já sou um homem e ainda possuo dentes, para com a boca escancarada, gengivas inchadas, debochar da miséria que expia. 

No espelho, admirado. Trinta e dois dentes fincados até a raiz.


*Reproduzido de http://trintaedoisdentes.blogspot.com.br/

amaia

Ana Paula Maia, escritora e roteirista, nasceu em Nova Iguaçu (RJ)


 




 


Voltar  

Confira também nesta seção:
15.08.18 18h00 » Noturno do Chile (trecho)
13.08.18 18h00 » Meus livros
10.08.18 18h00 » Apologia de Sócrates (trecho)
08.08.18 18h00 » O escritor trabalhando
06.08.18 18h00 » Gente pobre (trecho)
04.08.18 18h00 » Capítulo primeiro
02.08.18 18h40 » O Agiota
31.07.18 18h00 » Nada, mãezinha*
29.07.18 18h00 » As irmãs
27.07.18 18h00 » Gringuinho
25.07.18 18h00 » Um subornozinho
23.07.18 18h00 » Sexo nos berçários
21.07.18 18h13 » O dia em que o fotógrafo não quis fotografar
19.07.18 18h00 » O Lobo*
17.07.18 18h00 » Pedra Canga
15.07.18 18h10 » Selva Trágica
13.07.18 17h51 » A origem do mundo
11.07.18 18h00 » Anteontem, de manhã.
09.07.18 18h00 » O salário dos poetas
07.07.18 18h00 » Manhã Perdida

Agenda Cultural

Veja Mais

Newsletter

Preencha o formulário abaixo para receber nossa newsletter:

  • Nome:

  • Email:

  • assinar

  • cancelar


Copyright © 2012 Tyrannus Melancholicus - Todos os direitos reservadosTrinix Internet