CONTO

Nada, mãezinha*



Dona Angelina passou a manhã toda preocupada com o novo contentamento da filhinha. Uma esquisitice da criança parafusando uma festa de boneca..., mas o ritual preparativo não dava nada a ideia que queria insinuar. Era Rosinha estalando os dedinhos, chicoteando no ar... Agora, já batia no peito, tentando um ritmo de castanhola. Passou por ali, foi até o parapeito da cozinha, deu um cascudo no gato da Margarida. Voltou. Fez piolho na cabeça do papagaio empoleirado na janela baixinha da varanda e saiu choramingando, com o furinho no dedo indicador. Bem feito!

Não tinha dúvida de que acontecia alguma coisa interessante na vida da menina. Sorriu de gostosura, quando achou, atrás do forno velho, a bonequinha de pano que tirou na rifa do menino da esquina...

Seu Matos saíra cedo e não voltara ainda para o almoço. Dona Angelina imaginando, fazendo exame na filha, querendo escrever um diário na própria costura que cosia. Rosinha, possuída de tanta novidade, fazendo reboliço. Começou pelas nove da manhã quando veio do quintal depois daquela conversa fiada com dona Clorinda, a vovozinha que esfregava uma toalha de mesa junto ao depósito.

Às vezes, Rosinha gungunava qualquer coisa sem sentido claro, inventando palavras difíceis... Dava uns requebros, fazia roda no meio do quarto e continuava mexendo no gavetão do guarda-roupa. Dona Angelina costurando, assuntando...

Lá uma hora, sem se afastar do gavetão, a menina deu uma olhada de lado, firmou a vista, balançou a cabeça e se deteve no exame do vestido novo que a mãe ultimava, pregando uma fileira de botões de papel embolotado, coberto de pano anil. Rosinha ficou curiosa com a sobriedade do vestido de gola fechada, sem enfeites, sem decote. E aquela fileira de botões que saía do umbigo, pelo lado de trás, indo parar na nuca, perturbando a pituca de Dona Angelina... Ficou vendo. Encolheu mais os ombros, puxou sua  blusa curta e não conseguiu fechá-la no pescoço, tentando uma comparação. Ensaiou um risinho de fusquinha para o vestido novo de dona Angelina - tudo isso sem tomar tempero da farofa que ela mesma fazia com as roupas engomadas do gavetão.

Dona Angelina, quieta, cosendo, cabeça baixa. Rosinha não aceitava aquele silêncio - inventou um pigarro graúdo, mas saiu desafinado feito flauta de talo de mamoeiro. Desapontou-se e consertou a garganta num suspiro descansado... Soltou um "ai-ai-Jesus", que fez ninho nos ouvidos de dona Angelina. Aí, sim, dobrou a preocupação da senhora; encolheu a costura entre os braços, o pescoço priscou para a filha, e os óculos maternos, de aros de chifre, apreensivamente, indagou:

-Que é isso, menina? Que tem você, Rosinha? - e a ingenuidade contente da resposta:

-Nada, mãezinha, alegria, alegria minha do dia de mamãe! - piscou um olho, à moda molequinho, e sorriu.

Dona Angelina, que nem se lembrava do seu dia, suspirou e sorriu, também. 


*Texto publicado no suplemento mensal da revista Social Democrata, edição especial, em homenagem ao Dia das Mães, em Cuiabá, 14 de maio de 1967 

freire

Do livro acima, publicado pela Carlini & Caniato, que integra a biblioteca tyrannus, veio a prosa de hoje

freire

Silva Freire (1928-1991), prosador e poeta de Mato Grosso, nome robusto da história da literatura deste estado





Voltar  

Confira também nesta seção:
14.12.18 19h00 » Matiné*
12.12.18 17h00 » Ladrões e como tratá-los*
10.12.18 14h00 » é tudo sal, plâncton, areia e bicho morto*
07.12.18 19h30 » Nem a Rosa, nem o Cravo...*
05.12.18 18h00 » A moça tecelã*
03.12.18 11h00 » Duplex...*
30.11.18 18h00 » Rotina sagrada*
28.11.18 17h00 » Madame Bovary*
26.11.18 13h00 » Bam-Bam
23.11.18 19h00 » As cores do arco-íris*
21.11.18 18h00 » Um e outro*
19.11.18 11h00 » Brooksmith*
16.11.18 19h00 » O Gato por Dentro (trechos)*
14.11.18 18h00 » Cantos de Maldoror (Trecho)*
12.11.18 16h00 » PanAmérica (trechos)*
09.11.18 19h00 » O Sorriso Roubado*
07.11.18 18h00 » Cego e amigo Gedeão à beira da estrada*
05.11.18 16h00 » Rosa dos Ventos - ou o desejo de uma ceia a dois*
02.11.18 18h00 » Ficção em sala de professores*
31.10.18 17h44 » Gente de quem?*

Agenda Cultural

Veja Mais

Newsletter

Preencha o formulário abaixo para receber nossa newsletter:

  • Nome:

  • Email:

  • assinar

  • cancelar


Copyright © 2012 Tyrannus Melancholicus - Todos os direitos reservadosTrinix Internet