Aloitando com palavras

“Uma coisa que é bacana”... Não, começar um texto dessa forma, usar logo de cara essas duas palavras “coisa” e “bacana”... Francamente. Ou fracamente, que cabe melhor aqui. “Por favor, comece, só comece a redação para mim que depois eu continuo”. Minha geração passou por isso, em algum momento num banco ou carteira escolar.
O que é mais intrigante e que faz parte da graça de escrever é o retorno. Escrever é um terreno escorregadio. A gente nunca sabe direito se vai ficar bom ou ruim o resultado final dessa palavraiada toda e, curiosamente, isso também funciona como incentivo para escrever. Essa imprevisibilidade é fundamental, até porque, nada mais chato do que algo previsível.

“Escreve com teu sangue e verás que sangue é espírito” (Nietzsche). Radicalzão esse cara de bigodes fenomenais que balançou as estruturas conceituais do universo com sua palavra. Drummond poetizou que quem escreve, dissipa... Dissipar é importante. Escrever é algo associado com o gesto de se libertar das inquietações.
Filosofando à base de marteladas

Faço legendas, títulos, gravatas, indicativos, mudo parágrafos, escrevo outros, escolho fotografias, faço e refaço todos os dias essas tarefas. E leio bastante. É meu papel de editor. Faço releases e refaço-os, telefono para jornalistas, fontes, assessorados, procuro e acho a possibilidade da notícia. E leio sobre os assuntos afins. É o meu papel de assessor. E depois de um dia completo, envolvido com esses afazeres profissionais, o prazer que a escrita me dá não será pleno se não surgir um novo texto aqui no Tyrannus.
  
"Lutar com palavras, é a luta mais vã" (Drummond)

Quem escreve o faz por algum motivo, nem sempre muito claro. E se mantém o hábito, fazendo um blog, por exemplo, poderá encontrar (um dia) a resposta que diz respeito aquilo que o faz escrever. Hoje entramos numas de buscar essa tal de resposta para saber o porquê de se escrever. Algo que sirva para nós mesmos. Escrevemos para compartilhar nossas experiências e porque sentimos necessidade disso. E um texto pronto dá prazer.  

Desinventando a roda (Marcel Duchamp)
Quando provocamos reações, comentários, reflexões, e-mails, boas risadas e outros estados alterados, fomos bem. Nada é pior para quem inventa moda do que ver a sua palavra ser recebida com indiferença. Na cabeça do cineasta, do artista plástico, do músico, do escritor, escultor e mais uma renca de gente que podemos classificar como artistas profissionais, essa indagação deve azucrinar: Porque estou fazendo isso? A eles, parece que não há outra opção a não ser assumir que são mesmos artistas e terão que carregar essa sina para o resto da vida.
Informações ao cubo

Toda profissão desenvolve uma espécie de escrita, um código que serve para anotar, registrar. Só que esses escritos só registram ou anotam o que foi visto e comprovado e têm uma finalidade muito específica. Os que escrevem por prazer, esses têm mais liberdade e usam o espaço branco para engendrar tramas e dramas que lhes vem à cabeça e passam muito tempo construindo cenários imaginários. E têm uma necessidade inexplicável de mostrar, expor o que se inventou e o que deu noção de algo, por mais incompreensível ou inexplicável que seja, segundo a linguagem formal. Isso faz uma diferença enorme.

"Toda arte é completamente inútil" (Oscar Wilde)

Mas ainda está confuso. O conteúdo deste blog, no meu entender, não se encaixa em nenhum rótulo e isso incomoda um pouco o meu lado jornalista (jornalistas costumam ter uma queda feroz pelos rótulos).  Não sei bem como terminar essa conversa que parece não progrediu muito. Melhor ficar por aqui...





Voltar  
3 Comentário(s).
A frase "escreve com teu sangue e verás que teu sangue é espírito" é de Vinícius de Moraes, e não de Nietzsche
enviada por: Pedro Adolf Plotz    Data: 22/10/2012 10:10:10
Pedro, fizemos uma pesquisa no Dr. Google para respaldar a nossa citação. Encontramos os seguintes endereços que atribuem a Nietzache a autoria da frase "escreve com teu sangue e verás que tem sangue é espírito".
http://www.viniciusdemoraes.com.br/site/article.php3?id_article=579
http://www.jornaldepoesia.jor.br/BLBLluiscarlospatraquim01.htm
http://pensador.uol.com.br/frase/MTE3OTE1/
http://www.digestivocultural.com/jdborges/ensaios/nietzsche.htm
enviada por: tyrannus melancholicus    Data: 22/10/2012 10:10:10
Se vc quiser contestar ótimo; Aradecemos a sua intenção. Abraços
enviada por: tyrannus melancholicus    Data: 22/10/2012 10:10:10

Confira também nesta seção:
15.02.19 20h00 » Fellini tentando um plano geral*
13.02.19 16h50 » Pedro Páramo*
11.02.19 13h00 » A gente era obrigada a ser feliz*
08.02.19 20h00 » O cão Achado*
06.02.19 18h00 » Viagem*
04.02.19 12h00 » estado noturno*
01.02.19 20h00 » Curta história*
30.01.19 18h20 » Sombras sobre a terra*
28.01.19 12h00 » Quem escuta, ouve a seus males*
25.01.19 20h00 » Short movies*
23.01.19 18h00 » On the road*
21.01.19 12h00 » O grilo na palma da mão*
18.01.19 20h00 » Abundantemente corpo*
16.01.19 18h01 » Notícias do futuro*
14.01.19 16h00 » A menina*
11.01.19 19h00 » A porca*
09.01.19 18h00 » Brotinho legal*
07.01.19 17h00 » Saudade*
05.01.19 00h12 » Aurea mediocritas
03.01.19 17h20 » A Sombra do Romariz

Agenda Cultural

Veja Mais

Newsletter

Preencha o formulário abaixo para receber nossa newsletter:

  • Nome:

  • Email:

  • assinar

  • cancelar


Copyright © 2012 Tyrannus Melancholicus - Todos os direitos reservadosTrinix Internet