Cinema: Oi Brasília!

Brasília tem uma cara que é só dela. Percebemos e vivenciamos o comportamento e atitudes das pessoas e seus registros. A capital brasileira, apesar da pouco tempo, tem uma trajetória muito bacana, que vem sendo construída por pessoas envolvidas e dispostas a fazer parte dessa história.
Sabíamos que o nosso último dia acompanhando o Festival de Brasília ia ser intenso, mas superou todas as nossas expectativas e fomos surpreendidos a medida que as horas passavam.  Começamos com uma palestra sobre a estética audiovisual para celulares, feita por um especialista. Os números são surpreendentes: há mais usuários de telefonia móvel do que brasileiros, no Brasil (obvio!). A nova mídia mostra sua força e seu potencial. Impossível escapar da tecnologia. Bom, depois que já estão experimentando “chipar” o cérebro humano para captar imagens dos nossos sonhos... esperar mais o quê??????


Depois, um passeio pela cidade com o Nicolas Behr, poeta arroz de festa em Brasília. Caminhando com ele pelas espaçosas avenidas, toda hora ele era espreitado, abordado e saudado.  Sujeito engajado. Ele conhece a cidade e sua história como a palma da mão (árvores, sua gente, seus points). Com esse conhecimento pinta e borda sua poesia realista e bem humorada.

 
Igreja N. Sra. Fátima, 1ª do DF

Pequizeiro na superquadra
Com ele fomos conferir um movimento contra a corrupção onde uma galera, em pleno Eixinho (acessível somente aos pedestres e veículos não motorizados, aos domingos), curtia pintando faixas e vendendo camisetas divulgando a Marcha Contra a Corrupção – voto aberto/ficha limpa, que vai rolar no próximo dia 12 em todo Brasil. Mais informações no www.movimentocontraacorrupção.org.br. E de lá fomos bater um rango no Beirute, restaurante tradicional da cidade, fundado em 1964.


À tarde, direto para o Cine Brasília. Acompanhar mais filmes, conversar com pessoas e buscar novidades. Assistimos ao documentário “Rock Brasília – Era de Ouro”, de Wlademir Carvalho, filme emocionante. Choramos até ficar envergonhados. Com uma delicadeza impressionante, Carvalho montou seu longa dechavando entrevistas espontâneas e muitas imagens de arquivo.
Equipe (parte) e diretor de Rock Brasília
 
Euforia coletiva com Rock Brasília

A partir da trajetória de bandas como Legião Urbana, Plebe Rude e Capital Inicial, Wladimir esbanja seu talento para contar histórias, associando rock’n’roll, política, família, engajamento etc. Interessante é que o filme conta a história do rock de Brasília de uma forma cronológica que faz com a gente se sinta inserido, como se fora a também a nossa história. O filme começa com muito humor, torna-se tenso a partir da sua metade e termina num raro tom emocional. Ficamos embasbacados e felizes por obra tão bonita e tocante. Um documentário imperdível. O público ovacionou, gritou, berrou, rock’n’roll.  
Outra arte do encontro que o Festival me propiciou: reencontrar uma amiga, papabanana, radicada em Brasília há vários anos e que ajudou a cuidar deste blogueiro quando criança. Até ai, legal!!! Acontece que Terezinha da Mata, ou melhor Gii, como a conheço, para minha surpresa, estava no elenco do curta “Deus”, de André Miranda. Negra e bela Gii é requisitada para filmes e peças publicitárias, pelas produtoras brasilienses. Emoção e alegria rever Gii e sua filha, Gisele.
Gii, Lorenzo e Gisele
O Festival ainda está rolando. Termina nessa segunda, quando serão anunciados os vencedores de 2011. Foi um grande prazer estar aqui. Muita gente jovem, interessante, fazendo deste festival o melhor do Brasil.

Joel Barcellos, o "astro"


Tietagem da braba. Baba baby


Esse é nosso!!!!


Voltar  
1 Comentário(s).
Verdadeiro túnel do tempo.
Perdidos no espaço, com o robô, o Sr. Smith e o menino Will.
Saudade !
enviada por: BOMBEIRO CARLOS FONSECA    Data: 22/10/2012 10:10:11

Confira também nesta seção:
22.04.19 00h10 » O laboratório do Dr. Frankenstein*
19.04.19 19h30 » Os Devaneios do General*
17.04.19 18h30 » Um solitário à espreita*
15.04.19 13h00 » O amante de Lady Chatterley*
12.04.19 20h30 » Livro de ocorrências*
10.04.19 14h00 » Catedral*
08.04.19 01h50 » Puta merda
05.04.19 20h00 » O enforcado*
03.04.19 19h30 » Água viva*
01.04.19 09h00 » O inventor do martelo-de-orelha*
29.03.19 20h30 » Um ardil*
27.03.19 17h00 » Estar sendo. Ter sido*
25.03.19 12h00 » O pirotécnico Zacarias*
22.03.19 20h00 » O apanhador no campo de centeio*
20.03.19 18h00 » O fim de Arsène Godard*
18.03.19 14h00 » Fábula curta
14.03.19 21h00 » A mão encantada (trecho)*
13.03.19 18h00 » Coitado do homem cujos desejos dependem*
11.03.19 12h00 » Criação literária*
08.03.19 20h00 » O campeão*

Agenda Cultural

Veja Mais

Newsletter

Preencha o formulário abaixo para receber nossa newsletter:

  • Nome:

  • Email:

  • assinar

  • cancelar


Copyright © 2012 Tyrannus Melancholicus - Todos os direitos reservadosTrinix Internet