EM CHAPADA

Na comunidade de Água Fria



mario friedlander

most

Nas comunidades por onde já passou, a Mostra vem conquistando o público que comparece com alegria e sorrisos

Prossegue nesta terça (5) a 1ª Mostra da Alegria na Zona Rural de Chapada dos Guimarães. Em sua terceira etapa, o evento acontece nos períodos matutino e vespertino, na Escola Estadual do Campo São José, na comunidade de Água Fria, em Chapada. 

A programação tem início às 8h30 com "A Benzeção da Terra", espetáculo da Cia Alegrís. Às 9h45 tem a "Oficina de Brinquedos Populares", com Micheli Sierra e Lótus Reuben, da Cia Alegrís.

Durante a tarde, às 13h30, tem "Esperando o Lima", com o Trio Pirathiny e, a partir das 15h, acontece a "Oficina O Palhaço", com Luciano Bortoluzzi e Trio Pirathiny.

As atividades e os artistas

Com duração aproximada de 40 minutos, "A Benzeção da Terra" (Cia. Alegrís) traz duas  palhaças (Murissoca e Tucandira) que, depois de uma longa viagem, onde observam a mudança na paisagem, procuram boas soluções para a preservação da natureza. E quem vem para ajudá-las? Dona Chiquinha, a Benzedeira, e Professor Harnesto, um expert em Agrofloresta. 

Em meio a brincadeiras de palhaças, cantigas, lendas e bonecos gigantes, embarcam em uma aventura rica e carismática, onde surgem outros personagens como a Siriema e o Minhocão do Pari. Totalmente interativa, a peça traz brincadeiras populares tradicionais brasileiras, por meio dos bonecos de Mamulengo e muita brincadeira.

henrique santian

most

A Cia Alegrís integra a programação da Mostra, com a participação das palhaças Murissoca e Tucandira

As músicas, composições autorais, trazem ritmos brasileiros, com improviso e participação do público, compondo uma trilha sonora diversa com o colorido circense. De forma lúdica conceitos e práticas importantes para para a redução dos gases de efeito estufa, mitigação contra os efeitos das mudanças climáticas, preservação e manutenção de recursos hídricos, trazendo as características dos diferentes biomas valorizando conhecimentos de povos tradicionais que são alinhados às práticas sustentáveis. E a Agrofloresta é apresentada, como caminho para restaurar a flora e fauna de cada bioma, recuperar a biodiversidade.

Oficina de Brinquedos Populares” é desenvolvida por Micheli Sierra (Cia Alegrís). No contexto folclórico, o brinquedo popular é peça fundamental para o desenvolvimento intelectual e coordenação motora da criança. Caracterizado como produto artesanal, os brinquedos agem de forma interativa no mundo de fantasias da criança, aproximando-se da realidade social em que vive, desenvolve experiências internas e externas ao seu mundo, promovendo melhores resultados na aprendizagem. Esta oficina utiliza materiais simples, de fácil manuseio e de baixo custo. Em boa parte recicláveis, visando dar uma outra utilização para materiais descartáveis produzidos pela indústria e que possuem um alto impacto ambiental.

 A coordenadora da oficina, Micheli Sierra, há 13 anos pesquisa e desenvolve atividades voltadas para a ludicidade em diversas áreas (educacional, teatral, comercial).

Fundadora e coordenadora geral da empresa "Alegrís – Brinquedos e Brincadeiras", Micheli traz como alicerce o brincar como forma de empoderamento humano. Tem como inspiração para seu trabalho a Cultura Popular Brasileira e as brincadeiras tradicionais.

Espetáculo “Esperando o Lima” (Trio Pirathiny) tem duração estimada de 40 minutos. Uma das características marcantes do trabalho do Trio Pirathiny é a itinerância. Viajar pelo Brasil e exterior levando alegria, cultura e diversão é a tônica do grupo.

mario friedlander

most

A interação com o público infantil tem sido um dos destaques da Mostra da Alegria

Através da linguagem e encantamento do circo, o palhaço Maestro Joanim, diverte crianças e adultos com números de dança, magia e transformações.

De produção ágil e rápida, o espetáculo do Trio Pirathiny pode ser montado nos mais diferentes espaços. Sem necessitar de grandes aparatos técnicos, o ator Luciano Bortoluzzi, idealizador do projeto, viajou 18 anos pelo Brasil, América do Sul e Europa, apresentando espetáculos e ministrando cursos de interpretação, totalizando 350.000 espectadores em mais de 300 cidades visitadas em 14 países.

A “Oficina O Palhaço”, com Luciano Bortoluzzi (Trio Pirathiny) se estende durante aproximadamente uma hora. Através das características físicas e da personalidade dos participantes, a oficina  busca a percepção da lógica mais que especial do palhaço.

 Jogos e improvisos auxiliam na busca pela poesia de se permitir ser ridículo. Toda pessoa é engraçada e a oficina busca desarmar o participante, para que possa entrar em contato com a sua espontaneidade e trabalhar o seu verdadeiro “Ser Palhaço”. Não é necesário nenhum tipo de experiência.  

Luciano Bortoluzzi é formado pela Escola de Arte Dramática da USP, EAD/ECA/USP, 1994/1997 e estudou na Universidade Livre de Música, atual Conservatório EMESP Tom Jobim em SP entre 1990 e 1994. Como ator e produtor, desenvolveu projetos ligados à música, teatro e circo. Entre 1999 e 2017 produziu e atuou em 06 turnês da Companhia de Circo/Teatro “Trio Pirathiny”, por todos os estados brasileiros, 12 países da América do Sul, Alemanha e França.

Em 2008 na Europa, atuou e produziu o Trio Pirathiny no Körln Gaukler Fest em Colônia na Alemanha e no evento "Villete en Pistes" no Parc de La Villete em Paris - França. Foi diretor de produção e palhaço do Circo Pirathiny e diretor de produção do Internacional Circo Grock (2012 e 2013).

2009, 2015, 2016 e 2017, convidado pelo Grupo Caixa de Imagens,  atuou, produziu e itinerou com o Trio Pirathiny, por diversos bairros de SP através do Projeto Caixa de Imagens a 1.000, agraciado pelo Programa Lei de Fomento ao Teatro para a cidade de São Paulo.

Atuou nas séries: “O negócio” da HBO, segunda temporada, 2014 e “PSI” da HBO, terceira temporada, 2017.

Em cinema atuou no longa metragem “Mãe só há uma”(SP-2016) de Anna Muylarte; “Desamantes” de Domitri Kozma e Geisla Fernandes, em fase de finalização no Canadá; “Linha de Passe” (SP-2008) de Walter Salles e Daniela Thomas; e “Nome Próprio” (SP-2007) de Murilo Salles. 

bor

Luciano Bortoluzzi, do Trio Pirathiny, artista que já rodou pelo Brasil e pelo mundo, encabeça um rico empreendimento cultural

A Mostra

A Mostra da Alegria é um projeto que merecea atenção e o carinho do público consumidor de cultura e, em especial, das instituições públicas e privadas que acreditam nos benefícios e nas possibilidades das ações culturais.

O fato de ela se desenvolver em comunidades rurais, onde, normalmente, as pessoas não têm acesso às artes e ao entretenimento, amplifica o seu valor e alcance. O Tyrannus dá total apoio a esse tipo de iniciativa. (*com assessoria)

Para saber mais sobre a Mostra da Alegria, vá ao link...

 

http://www.tyrannusmelancholicus.com.br/noticias/10034/para-todos-os-gostos-e-faixas-etarias

 


Voltar  

Agenda Cultural

  • Em Cartaz:
  • 'Natal Iluminado"
  • Dia: 09 de dezembro
  • Local: Praça Alencastro
  • Informações: no link
Veja Mais

Newsletter

Preencha o formulário abaixo para receber nossa newsletter:

  • Nome:

  • Email:

  • assinar

  • cancelar


Copyright © 2012 Tyrannus Melancholicus - Todos os direitos reservadosTrinix Internet