NO ARSENAL

Filmes de quatro países



sandw

"Club Sandwich", do cineasta mexicano Fernando Eimbcke

De quinta-feira (11) a domingo (14), o Sesc Arsenal exibe quatro bons filmes que merecem a atenção dos cinéfilos cuiabanos. São produções do México, Japão, Inglaterra e Suécia. Todas com premiações em festivais internacionais, sob a batuta de cineastas que já têm nomes consolidados no contexto do cinema mundial.

Todos os filmes serão exibidos em sessões gratuitas, que começam às 19h30

"Club Sandwich" (Fernando Eimbcke, México, Drama, 2015, 79min.), para maiores de 12 anos,  tem exibição na quinta (11).  Na trama, Paloma, apesar de muito nova, cria seu filho Hector de 15 anos. Ao passar as férias no litoral, Hector conhece Jazmin, uma adolescente com quem ele descobre os primeiros lampejos do amor e da sexualidade.

O carinho com o qual o diretor trata seus personagens neste filme, expondo suas vontades e decisões, alegrias e frustrações, dá-se de uma forma tão verdadeira que torna-se inevitável o envolvimento do espectador. Transborda em humanitarismo e o resultado é conquistador.

O cineasta e roteirista mexicano Fernando Eimbecke, apesar de pouco conhecido no Brasil, começou dirigindo videoclipes e logo se destacou. Tem poucos longas no currículo, mas, inúmeros inúmeras premiações. "Club Sandwich", seu terceiro longa, foi premiado nos festivais de Turim e de San Sebastián, entre outros galardões.

nossa

Do japonês Hirokazu Kore-eda, "Nossa irmã mais nova"

"Nossa irmã mais nova" (Hirokazu Kore-eda, Japão, Drama, 2015, 126min.) tem sessão na sexta (12), para maiores de 10 anos.

Traz três irmãs que vivem na cidade de Komakura, numa linda casa que pertence à família há anos. Quando o pai delas morre, elas decidem ir ao funeral. Lá conhecem a sua meia-irmã, uma tímida adolescente pela qual se apegam muito rápido.

Para contar sua história, Kore-eda passeia livremente por temas como a família, a perda, a questão cultural, o trabalho e a vida pessoal. Sem nunca abandonar um aspecto que anda faltando neste mundo moderno, cheio das tecnologias: o afeto.

"Nossa irmã mais nova" conquistou várias premiações, entre elas, uma no Festival Internacional de Cinema de San Sebastián. Foi nominado para a Palma de Ouro em Cannes.

"Eu, Daniel Blake" (Ken Loach, Inglaterra França Bélgica, Drama, 2016, 105min.) tem classificação para 12 anos. A sessão é no sábado (13). Premiações não faltaram a este mais recente filme do descolado cineasta britânico. Venceu, por exemplo, o Festival de Cannes em três categorias, incluindo a Palma de Ouro.

blake

Do veterano cineasta inglês Ken Loach, "Eu, Daniel Blake"

Após sofrer um ataque cardíaco, Daniel Blake busca receber os benefícios concedidos pelo governo, entretanto ele se depara com a extrema burocracia instalada pelo sistema. Nesse cenário ele conhece Katie, a mãe solteira de duas crianças que se mudou recentemente para a cidade.

O drama do personagem título é algo bem conhecido em terras brasileiras. E esse conflito é tratado ao largo do sentimentalismo barato, convocando o espectador a solidarizar-se com Blake e adotar suas dores.

"Fanny e Alexander" (Ingman Bergamn, Suécia/França/Alemanha, Drama, 1982, 188min.) é a sessão domingueira. Para maiores de 14 anos.

A história se passa na Suécia, início do século XX. Duas crianças de uma família burguesa têm suas vidas alteradas radicalmente quando o pai morre e, pouco tempo depois, a mãe se casa com o bispo da cidade, um homem rigoroso e cruel.

No desenrolar do filme mostram-se presentes as ideias e os sentimentos sobre a vida que sempre expressou, em sua obra, o genial Ingmar Bergman. Neste filme ele joga seu charme narrativo na família em questão, mas, sem julgar nada e também expõe de forma complacente a latente sexualidade presente nos personagens.

"Fanny e Alexander" ganhou duas estatuetas do Oscar e também foi premiado no Globo de Ouro, no Bafta e Festival de Veneza.

fanny

"Fanny e Alexander", filme do genial Ingmar Bergman

 


Voltar  
2 Comentário(s).
Na mosca, Laércio. Nesta quinta-feira (11) chegam as novidades nas salas dos shoppings. Sou capaz de apostar que as estreias não ficarão nem no chinelo do que o Arsenal oferece. Sonho, porém, estar equivocado... Abração, mano
enviada por: lorenzo    Data: 10/01/2018 21:09:18
Boas dicas, Lorenzo. Ja sabemos o que fazer para um lazer que fuja dos shoppings lotados, recendendo a pipoca e bacon.
enviada por: Laercio Miranda    Data: 10/01/2018 09:09:40

Agenda Cultural

Veja Mais

Newsletter

Preencha o formulário abaixo para receber nossa newsletter:

  • Nome:

  • Email:

  • assinar

  • cancelar


Copyright © 2012 Tyrannus Melancholicus - Todos os direitos reservadosTrinix Internet