LITERATURA

"Essa Armadilha, O Corpo"



rodi

Rodivaldo Ribeiro: contos de Cuiabá para o mundo

Se tem algo que comemoro é quando um jornalista, com atuação na área cultural, resolve sair da casinha e se lançar na literatura. Escrever e esmiuçar o terreno das artes, muitas vezes, leva o (a) profissional da comunicação a despir-se da camisa de força que costuma significar a prática do jornalismo.

É por aí que vai trilhando Rodivaldo Ribeiro, que lançou nesta segunda-feira "Essa Armadilha, O Corpo", que traz textos escritos entre 2002 e 2016. São 22 contos que retratam a sua visão de mundo no período da adolescência. É a primeira parte de uma trilogia. Os dois livros seguintes vão abordar os períodos maduro e o da velhice, segundo o próprio Rodi me confidenciou.

"Essa Armadilha, o Corpo", sai pela Chiado Editora, de Portugal. A distribuição do livro se dará - que chique - no Brasil, Europa, Angola, Cabo Verde e Moçambique.

Aqui em Cuiabá, terra do jornalista/escritor, o livro teve lançamento nesta segunda-feira (7), na Casa do Parque. O volume pode ser adquirido no site da editora (https://www.chiadobooks.com/autores/rodivaldo-ribeiro). 

O livro

o corpo

 

"Essa Armadilha, O Corpo" tem temática variada, e o único elo entre os 22 textos – oito deles, curtos – é a maneira como os personagens se relacionam com o mundo, “ora absortos em reflexões, ora em momentos de ludicidade, por vezes em angústia quanto ao passo irremediável do tempo e a brevidade da vida em oposição à vastidão desse conceito/convenção”.

Para o autor, a obra foi feita para ser breve “como volume, mas longo como conceito. São histórias ou ideias que não pretendem ser axiomas, apesar de várias vezes flertarem com esse tipo de postulado filosófico”.

Em relação a se tratar de uma trilogia, o autor argumenta: “Porque vi que mesmo os personagens velhos ou adultos o são apenas cronologicamente, mas ainda agem como crianças e ou adolescentes, sem muita consciência de suas ações, agindo no mais das vezes por impulso, presos ao que achamos ser interminável quando somos jovens”, explica Rodivaldo.

Segundo o texto de apresentação na contracapa: “Se há algum elo de ligação possível entre os personagens, este se dá apenas na repetição de seus únicos refúgios e armas: seus corpos. Ora magros, ora gordos, ora frágeis, ora gigantescos, mas sempre corpos, armadilhas de todos e de ninguém”.

Rodivaldo Ribeiro também lançou, recentemente, junto com Marinaldo Custódio e Martha Baptista, o volume "Na Estrada: 70 Anos da Sinfra", pela editora cuiabana Entrelinhas. (*com assessoria)

 


Voltar  

Agenda Cultural

Veja Mais

Newsletter

Preencha o formulário abaixo para receber nossa newsletter:

  • Nome:

  • Email:

  • assinar

  • cancelar


Copyright © 2012 Tyrannus Melancholicus - Todos os direitos reservadosTrinix Internet