MÚSICA DE CÂMARA

Horário alternativo, repertório variado



orq

O Sexteto de Metais da Osufmt apresenta um repertório rico e variado. Neste domingo (20), entrada franca, às dez da manhã

Como parte da Temporada “Cuiabá Tricentenária”, a Orquestra Sinfônica da Universidade Federal de Mato Grosso (OSUFMT) apresenta a primeira edição da Série “Benedito Pedro Dorileo”, de música de câmara. A apresentação acontece neste domingo (20), no Auditório do Centro Cultural, às 10h. A entrada é gratuita.

A proposta é oferecer um novo conceito e horário de música erudita na Universidade. “O objetivo é destacar o que temos de melhor para que a sociedade possa desfrutar de um repertório variado e de qualidade, ampliando as possibilidades por meio de novos formatos e horários de performances, como ocorre nas principais cidades do mundo”, explica o maestro da Orquestra, Fabrício Carvalho.

marcos lopes

orq

Benedito Pedro Dorileo, escritor e ex-reitor da UFMT, homenageado nesta série da Osufmt. Dorileo foi um dos grandes incentivadores e criadores da Orquestra

Ainda segundo o maestro, a série compreende apresentações de orquestra de câmara. “A música de câmara consiste em a qualquer formação que se limite a poucos instrumentistas, portanto, destinada a pequenos espaços. Diferentemente da orquestra sinfônica, cada instrumentista geralmente tem sua partitura exclusiva. Cada um toca notas por si só, dando maior protagonismo individual a cada músico. Nesta edição, o destaque é o Sexteto de Metais. Por sua vez, a homenagem é a um dos principais incentivadores e criadores da Orquestra da UFMT”, explica.

O programa é composto por 12 peças, entre compositores clássicos, como Tchaikovsky, Gioacchino Rossini, Jaques Offenbach; passando pelo jazz com peças como "XIX de Julho" e "Mood Indigo" (Duke Ellington e Barney Bigard); e por canções consagradas consagradas da música popular brasileira e internacional, como “Autumn Leaves” (Joseph Kosma), “Bésame Mucho” (Consuelo Velásquez), “Garota de Ipanema” (Tom Jobim e Vinicius de Moraes), “Wave” (Tom Jobim), “O bom filho à casa torna” (João do Vale), “Medrosa” (Vicente Celestino) e “Trem do Pantanal” (Geraldo Roca e Paulo Simões. A música regional é evidenciada por músicas de rasqueado selecionadas e da peça “Vuelve Madrecita”, da compositora cuiabana Zulmira Canavarros. 

orq

A música do italiano Gioachino Rossini, do século 17, estará presente nesta apresentação de música de câmara

Os músicos participantes desta etapa são os instrumentistas Jader Evangelista Gonçalves e Benedito Fausto Pereira Borges Filho (trompete), Jorival Ramos de Moraes e Gunarwingrem Júnior, como convidado (trombone), Eurico Rocha de Castro (tuba) e Marcelo Mendonça (bateria e percussão). (*com assessoria)

orq

Zulmira Canavarros, compositora cuiabana, tem peça no programa. Acima, imagem dela reproduzida de livro sobre ela, escrito por Dorileo


Voltar  

Agenda Cultural

Veja Mais

Últimas Notícias

Mais Notícias

Newsletter

Preencha o formulário abaixo para receber nossa newsletter:

  • Nome:

  • Email:

  • assinar

  • cancelar


Copyright © 2012 Tyrannus Melancholicus - Todos os direitos reservadosTrinix Internet