MÚSICA DE CÂMARA

Horário alternativo, repertório variado



orq

O Sexteto de Metais da Osufmt apresenta um repertório rico e variado. Neste domingo (20), entrada franca, às dez da manhã

Como parte da Temporada “Cuiabá Tricentenária”, a Orquestra Sinfônica da Universidade Federal de Mato Grosso (OSUFMT) apresenta a primeira edição da Série “Benedito Pedro Dorileo”, de música de câmara. A apresentação acontece neste domingo (20), no Auditório do Centro Cultural, às 10h. A entrada é gratuita.

A proposta é oferecer um novo conceito e horário de música erudita na Universidade. “O objetivo é destacar o que temos de melhor para que a sociedade possa desfrutar de um repertório variado e de qualidade, ampliando as possibilidades por meio de novos formatos e horários de performances, como ocorre nas principais cidades do mundo”, explica o maestro da Orquestra, Fabrício Carvalho.

marcos lopes

orq

Benedito Pedro Dorileo, escritor e ex-reitor da UFMT, homenageado nesta série da Osufmt. Dorileo foi um dos grandes incentivadores e criadores da Orquestra

Ainda segundo o maestro, a série compreende apresentações de orquestra de câmara. “A música de câmara consiste em a qualquer formação que se limite a poucos instrumentistas, portanto, destinada a pequenos espaços. Diferentemente da orquestra sinfônica, cada instrumentista geralmente tem sua partitura exclusiva. Cada um toca notas por si só, dando maior protagonismo individual a cada músico. Nesta edição, o destaque é o Sexteto de Metais. Por sua vez, a homenagem é a um dos principais incentivadores e criadores da Orquestra da UFMT”, explica.

O programa é composto por 12 peças, entre compositores clássicos, como Tchaikovsky, Gioacchino Rossini, Jaques Offenbach; passando pelo jazz com peças como "XIX de Julho" e "Mood Indigo" (Duke Ellington e Barney Bigard); e por canções consagradas consagradas da música popular brasileira e internacional, como “Autumn Leaves” (Joseph Kosma), “Bésame Mucho” (Consuelo Velásquez), “Garota de Ipanema” (Tom Jobim e Vinicius de Moraes), “Wave” (Tom Jobim), “O bom filho à casa torna” (João do Vale), “Medrosa” (Vicente Celestino) e “Trem do Pantanal” (Geraldo Roca e Paulo Simões. A música regional é evidenciada por músicas de rasqueado selecionadas e da peça “Vuelve Madrecita”, da compositora cuiabana Zulmira Canavarros. 

orq

A música do italiano Gioachino Rossini, do século 17, estará presente nesta apresentação de música de câmara

Os músicos participantes desta etapa são os instrumentistas Jader Evangelista Gonçalves e Benedito Fausto Pereira Borges Filho (trompete), Jorival Ramos de Moraes e Gunarwingrem Júnior, como convidado (trombone), Eurico Rocha de Castro (tuba) e Marcelo Mendonça (bateria e percussão). (*com assessoria)

orq

Zulmira Canavarros, compositora cuiabana, tem peça no programa. Acima, imagem dela reproduzida de livro sobre ela, escrito por Dorileo


Voltar  

Agenda Cultural

Veja Mais

Newsletter

Preencha o formulário abaixo para receber nossa newsletter:

  • Nome:

  • Email:

  • assinar

  • cancelar


Copyright © 2012 Tyrannus Melancholicus - Todos os direitos reservadosTrinix Internet