NO MISC

De 13 até 31 de julho



divulgação

negra

Ilustração que compõem o material de divulgação do evento que abre na sexta (13) e prossegue até o final do mês, no Museu da Imagem e do Som de Cuiabá - Misc

No dia 25 de julho se celebra o Dia da Mulher Afro-Latina-Americana e Caribenha. A data foi criada em 25 de julho de 1992, durante o I Encontro de Mulheres Afro-Latino-Americanas e Afro-caribenhas, em Santo Domingos, República Dominicana, como marco internacional da luta e da resistência da mulher negra. 

No Brasil, a data também homenageia Tereza de Benguela, que foi uma importante líder quilombola no século 18. Ela chegou a ser chamada de rainha, quando, após a morte de seu marido, José Piolho, que chefiava o quilombo do Quariterê, em Mato Grosso, passou a comandar a estrutura política, administrativa e econômica do quilombo.

Em Cuiabá, a prefeitura, por meio da Secretaria Municipal de Cultura, Esporte e Turismo, junto ao grupo Ciranda Crioula, realizam de 13 a 30 de Julho, no Museu da Imagem e do Som – Misc, a exposição “De Benguela, de Cuiabá, do Mundo, Terezas”, organizada por Érica Sales, Isis de Castro e Gilda Portella. 

Também acontece a “IX Ciranda de Crioula” que vai  trazer uma programação voltada ao Dia Internacional da Mulher Negra Latino Americana, Caribenha e Tereza de Benguela. No museu, as comemorações em homenagem a data, serão no dia 21.

A comemoração à historicidade das mulheres “Terezas” personifica alegrias, dores, lutas, esperança e reflexões sobre a negritude, além de nuances culturais da matriz africana, vetores do universo feminino negro, suas raízes profundas e condutoras da história e cultura mato-grossense. São obras de mulheres que retratam outras personalidades femininas, contando sua história, ou a de outrem, sensibilizando os olhares pela arte.

facebook

negra

Em MT várias instituições e pessoas estão engajadas na valorização e perpetuação da cultura africana, componente básica do mosaico cultural que faz parte da história btasileira

“Estamos abrindo o Misc para que todas as pessoas possam se manifestar culturalmente. Queremos o lugar amplamente habitado e repleto de arte dos mais diferentes conceitos. Daqui para frente teremos uma vasta programação, que engloba desde exibições de cinema e música à fotografia, cursos e seminários. Vamos transformá-lo em um espaço vivo e interativo”, ressaltou Francisco Vuolo, secretário municipal de Cultura, Esporte e Turismo.

Além das organizadoras, o movimento tem Edilaine Duarte, Claudio Benassi, Lindalva Alves, Luana Soares, Luiz Renato, Maria Clara Bertúlio, Silviane Ramos, Talita Gonçalves, Tereza Helena, Cristovão Luiz, Grupo Aguerê, Lupita Amorim, Antonieta Luisa Costa, Gonçalina Eva Almeida de Santana, Silviane Ramos, Erica Salles, Isis Castro, Regina Cancio, Graça Almeida, Ivan Neto, Mario Luiz, Grupo Aruandê, Mestre Borracha, Sonia Aparecida, Isla Castro e João Almeida.

O evento exibe obras de Gilda Portella, Meg Marinho e Paty Wolff, retratando o universo infanto-juvenil e de mulheres negras anônimas, além do cotidiano das artistas ou da história brasileira e mato-grossense.

“São as Mulheres em ciranda, uma por todas e todas por uma. Já ouvimos essa cantiga nas caminhadas a militar, nessas telas, nessas telas, estamos todas lá! Cores, faces, lutas e bandeiras a levantar. É um projeto ousado de toda arte misturar. É a cara de quem organiza, num misto de congregar... Estão elas, uma por todas e todas por uma em suas telas a registrar! Mas nessa ciranda tem poeta, tem cantora, grafiteira, atriz a embalar, essa mistura de artes de todas por uma propiciando o Encantar!”, concluiu a entusiasmada Paty Wolf.
Confira programação completa:

IX Ciranda de Crioula - Programação Dia Internacional da Mulher Negra Latino Americana e Caribenha e Tereza de Benguela

De 13 a 30 de julho - Exposição “De Benguela, de Cuiabá, do Mundo, Terezas” - Gilda Portella, Meg Marinho e Paty Wolff

Dia 13: 16h - Oficinas de Turbantes - Gilda Portella, Meg Marinho e Paty Wolff.

Oficina de Dança Afro - Grupo Ayoluwá – Cristovão Luiz.

Dia 21: Das 16 horas às 21 horas

negra

As bonecas Abayomi são cheias de significados e também simbolizam a forte presença da cultura negra no Brasil

Exposição Heroínas Negras - Coletivo Negro da UFMT - Painting Art - Paty Wolff;

Apresentação das Instituições Representativas, Movimentos Sociais e seus representantes.  Roda de Afoxé - Grupo Aguerê.

No Palco Dona Francisca - Performance  - Lupita Amorim Sarau de Poesias afro mato-grossense: Edilaine Duarte, Claudio Benassi, Lindalva Alves, Luana Soares,   Luiz Renato,  Maria Clara Bertúlio, Silviane Ramos, Talita Gonçalves, Tereza Helena  e aberta a  demais participações. Mediadoras - Antonieta Luisa Costa e Gonçalina Eva Almeida de Santana

Lançamento do livro Pérolas Negras, de Silviane Ramos.

Ciranda Umbigada - Erica Salles e Isis Castro.

Cântico e Dança Sagrada - Grupo Cultural Tambores da Jurema Axé e Dendê - Regina Câncio, Graça Almeida, Percussão – Ivan Neto e Mario Luiz.

Roda de Capoeira - Aruandê e Mestre Borracha

Artesanatos: Mandalas e Orixás - Sonia Aparecida, Bonecas Negras (Abayomi) - Regina Câncio

Dia 25: Exposição de Fotografia Ciranda e Terezas Cuiabanas com Isla Castro e João Almeida. (*com assessoria da Prefeitura de Cuiabá e Agência Brasil)

Mais informações pelo telefone 3617 1238.

negra

Pintura do suíço Felix Vallotton, de 1911: "Mulher negra sentada de frente". Imagem sempre evocada como símbolo de resistência da mulher negra

 

 


Voltar  

Agenda Cultural

Veja Mais

Últimas Notícias

Mais Notícias

Newsletter

Preencha o formulário abaixo para receber nossa newsletter:

  • Nome:

  • Email:

  • assinar

  • cancelar


Copyright © 2012 Tyrannus Melancholicus - Todos os direitos reservadosTrinix Internet