CINESESC

Documentários nacionais, 5ª e 6ª



meu

"Se esse filme fosse meu", de Beatriz Craveiro

"Diferenças e Eficiências". Esse é o tema do CineSesc para este mês, já em cartaz no Arsenal. Para esta semana mais quatro produções, todas nacionais, enveredando pela temática proposta. 

As sessões acontecem na quinta (9) e na sexta-feira (10), sempre às 19h30. Dois documentários em cada dia. Sessões gratuitas, com classificação indicativa livre. 

Quinta-feira

"Se esse filme fosse meu" (Beatriz Craveiro, 2015, 17 minutos) abre a sessão de quinta-feira. É um filme sobre crianças. O que importa é a relação entre a equipe e aqueles que são filmados; colocando os dois lados em choque, interação, desconhecimento provocado pela presença da câmera.Uma equipe de filmagem se encontra com três meninas com a intenção de realizar um documentário em processo colaborativo. O filme expõe as dificuldades em se lidar com o diferente, sem trazer a Síndrome de Down como tema principal.

escute

"Escute", de Manoela Meyer

A segunda sessão traz "Escute" (Manoela Meyer, 2015, 25 minutos), documentário que foca a experiência de um cego que é cineasta. O casal com deficiência visual que não vê qualquer impedimento para deixar de frequentar salas de cinema. A sensibilidade para sonorizar filmes sem enxergar. Este é um documentário sobre percepções de pessoas com deficiência visual a respeito de estética, imaginação e sentimentos no cinema. Também são discutidas questões sobre o cinema como espaço social e cultural e o funcionamento perceptivo e cerebral de videntes e cegos. Com acessibilidade em libras.

Os dois documentários serão reprisados nos dias 18 e 29, no mesmo horário (19h30).

nova

"Outro olhar - uma nova perspectiva", de Renata Sette

Sexta-feira 

"Outro olhar - uma nova perspectiva" (Renata Sette, 2014, 26 minutos) é o primeiro a ser exibido. Narra a história da estudante gaúcha Renata Basso, que tem síndrome de Down e acaba de concluir o ensino médio, é o fio condutor de um retrato impressionante sobre a educação inclusiva no Brasil. Por meio de entrevistas com professores, colegas de classe, familiares e a própria Renata, o filme mostra que o esforço coletivo torna possível oferecer uma aprendizagem de qualidade a estudantes especiais.

A segunda sessão traz "Outro olhar - convivendo com a diferença" (Renata Sette, 2015, 34 minutos) narra a história de um indivíduo para buscar o universal. O individuo, no caso, é Charbel Gabriel, um senhor de 60 anos que ainda trabalha, exercita-se, cuida-se, estuda, interage diariamente com a família e a comunidade e tem síndrome de Down.

Os dois documentários voltam a ser exibidos, no mesmo horário, nos dias 19 e 30. (*com assessoria)

charbel

"Outro olhar - convivendo com a diferença", de Renata Sette

 


Voltar  

Agenda Cultural

Veja Mais

Newsletter

Preencha o formulário abaixo para receber nossa newsletter:

  • Nome:

  • Email:

  • assinar

  • cancelar


Copyright © 2012 Tyrannus Melancholicus - Todos os direitos reservadosTrinix Internet