AMAZÔNIA DAS ARTES

Curtas: ficções e documentários



pandorga

"Pandorga" (Maurício Pinto, MT, 2017, 17 minutos)

A Mostra de Cinema do Sesc Amazônia das Artes entra em cartaz na quarta-feira (8), às 19h, no Arsenal. As sessões são gratuitas e a classificação indicativa é para 16 anos. Conta com cinco produções curta-metragem em ficção e documental. A mediação da Mostra será feita por Maurício Pinto (MT), diretor do curta-metragem Pandorga.

Além da produção mato-grossense mencionada acima, também serão exibidos filmes do Amapá, Paraná, Acre e Tocantins.

"Pandorga" (Maurício Pinto, MT, 2017, 17 minutos) apresenta um casal que viaja numa estrada cheia de memórias e sentimentos, acompanhados de um envelope que guarda o futuro. As reflexões e acontecimentos no caminho podem reconstruir sua história.

"Carta sobre nosso lar" (Rayane Penha, Amapá, 2017, 13 minutos) é um documentário que narra histórias de mulheres que moram e trabalham no Garimpo do Vila Nova, interior do estado do Amapá. Mostra a força e o poder místico dessas mulheres que se materializam em suas realidades. 

"Meninx" (Tarcisio Gabriel da Conceição Santos, Paraná, 2016, 20 minutos) traz Cris, um garoto transgênero, que após ir a uma festa precisa lidar com escolhas difíceis que podem mudar sua vida para sempre. 

"Metempsicose" (Italo Rocha / Marcelo Zuza, Acre, 2017, 2, 28 minutos) tem sua história narrada em um mundo devastado pelas mãos do homem, onde o guardião usa de seus encantamentos para manter a última fonte de vida no planeta. O ser humano se esquece que, ao prejudicar a natureza, responder agressivamente ao meio ambiente, é como se respondesse para ele mesmo e acabasse com a sua própria vida. 

"Romana" (Helen Lopes, Tocantins, 2017, 24 minutos) abre espaço para que Dona Romana, líder religiosa amplamente conhecida no Tocantins e no Brasil, nos conte sua história e mostre um pouco do seu mundo, fisicamente assentado na zona rural da cidade de Natividade, município mais antigo do estado do Tocantins e com história intimamente ligada à escravidão e às populações afrodescendentes. (*com assessoria)

romana

"Romana" (Helen Lopes, TO, 2017, 24 minutos)

 

 

 


Voltar  

Agenda Cultural

Veja Mais

Newsletter

Preencha o formulário abaixo para receber nossa newsletter:

  • Nome:

  • Email:

  • assinar

  • cancelar


Copyright © 2012 Tyrannus Melancholicus - Todos os direitos reservadosTrinix Internet