PARÁGRAFO CERRADO

No Festival Velha Joana



fred gustavos

pri

Em "O beijo da lua", o Grupo Primitivos (MT) recontextualiza a lenda do surgimento da Vitória Régia, deslocando o romance do casal da floresta para a cidade

fred gustavos

pri

O Primitivos é a terceira geração do grupo Faces de Primavera do Leste

O grupo teatral Primitivos, terceira geração do grupo Faces de Primavera do Leste, remonta “O Beijo da lua”, espetáculo de estreia de seus precursores. Com esse gesto, parecem reverenciar o trabalho dos artistas que vieram antes, como que entendendo que a cultura artística numa cidade é um exercício de construção permanente que requer muita coragem para mudar paradigmas e expandir a ocupação de espaço. 

Na remontagem, para contar a história de Naiá, uma jovem indígena que se apaixona por Jaci - a lua, o grupo recontextualiza a lenda do surgimento da Vitória Régia, deslocando o romance do casal da floresta para a cidade. Nesse movimento, as árvores dão lugar para grandes andaimes que lembram os arranha-céus das metrópoles, fazendo com que o cenário se monte e se remonte na nossa frente, revelando inúmeras possibilidades de composições visuais, explorando o trabalho em vários planos de altura.

A ousadia da proposta se completa com o trabalho de corpo dos atores, que coloca em cena uma movimentação vigorosa repleta de saltos, escaladas e rolamentos, com os quais eles se deslocam de andaime em andaime enquanto recontam a lenda indígena. 

Na nova versão, além da flexibilidade corporal, a equipe traz referências ao hip hop, ao modo de falar urbano com gírias atuais, conferindo à produção o caráter juvenil próprios do universo de quem os realiza. Esses indicadores apontam o desejo de construir uma relação de pertencimento desses jovens com as problemáticas dos povos originários. 

Quanto a isso, junto ao elogio da importância política de voltar os olhos para esse tema, dado ao risco histórico de uma possível junção dos ministérios da agricultura e do meio ambiente, lanço uma provocação: o que poderiam esses jovens se radicalizassem os desdobramentos da invisibilidade indígena em Mato Grosso, eles que esbanjam joelhos saudáveis e energia para uma revolução?

*Texto escrito por Thereza Helena para o site Parágrafo Cerrado a partir da programação do XII Festival Velha Joana, em Primavera do Leste (MT). Revisão por Everton Britto e Joelson Jogosi, com fotografia por Fred Gustavos. Leia mais sobre o Festival em...  http://paragrafocerrado.com.br

 


Voltar  

Agenda Cultural

Veja Mais

Últimas Notícias

Mais Notícias

Newsletter

Preencha o formulário abaixo para receber nossa newsletter:

  • Nome:

  • Email:

  • assinar

  • cancelar


Copyright © 2012 Tyrannus Melancholicus - Todos os direitos reservadosTrinix Internet