EXPOSIÇÕES VIRTUAIS

As artes de Benedito Nunes e Adir Sodré



nunes

"Moratório" (2005), óleo sobre tela de Benedito Nunes

Com lançamento marcado para 23 e 24 de setembro às 20h, as exposições virtuais “Benedito Nunes em 50 obras” e “A Primavera de Adir” estão inseridas na programação do Museu de Arte e de Cultura Popular (MACP-UFMT) para a 14ª Primavera dos Museus, e integram o programa “A Importância da Cultura nos 50 anos da UFMT”. Benedito e Adir são dois dos principais nomes das artes plásticas de Mato Grosso, com uma vasta produção artística a partir dos anos de 1970 e que se estende até 2020, ano de falecimento de ambos.

A “Primavera dos Museus” é uma ação de promoção dos museus brasileiros coordenada pelo IBRAM e instituições museológicas em torno de atividades para todos os públicos. O tema definido para a edição de 2020 é “Mundo Digital: Museus em Transformação” e considera o atual momento pelo qual passam a sociedade e os museus devido à pandemia causada pelo Covid-19.

Com curadoria de Amanda Gama e Willian Gama, coordenação de Thania Arruda e design gráfico de Maurício Mota, as exposições apresentam 50 obras de cada artista, em homenagem ao cinquentenário da Universidade Federal de Mato Grosso, e fazem parte do projeto de exposição em homenagem aos artistas, falecidos em 2020. Segundo os curadores a mostra seria realizada fisicamente com obras de coleções públicas e particulares aberta ao público, mas devido à pandemia o projeto aguardará a reabertura consciente e segura dos espaços culturais da cidade, e por hora funcionará como um estudo de algo maior que será apresentado “pós pandemia”.

didi

"O amor de Luiz e Olga" (2013), trabalho de Adir Sodré

Para Willian Gama, as exposições virtuais são uma excelente oportunidade de apresentar parte do acervo imagético do banco de dados do projeto, umas vez que muitas obras ainda não puderam ser localizadas, “o trabalho virtual nos liberta do compromisso com a obra física, uma vez que possuímos um acervo fotográfico com mais de 200 obras dos artistas em diversos momentos de suas carreiras, o que nos dá uma ótima ideia do panorama e da trajetória artística de ambos”.

nunes

Benedito Nunes capturado pelas lentes de Luzo Reis

Segundo a crítica de arte Aline Figueiredo, “a pintura de Benedito Nunes expressa-se no campo do realismo. Vem enfocando momentos da vida urbana e periférica de Cuiabá ou a paisagística do Centro-Oeste. E junto a isso, também rumina seus próprios enfoques de vida. Não é expansivo tal Gervane nem narrativo quanto Dalva. Faz um percurso mais lento e mesmo mais intimista na busca de suas próprias indagações referenciais. Nesse percurso, digamos, o artista aprendeu a metafisicar visões em problemas banais. Não raro, ao acordar, encontra na desordem da prancheta ou do quarto, na vista da janela, um assunto pronto a trabalhar, juntar enredos. O terreno da casa paterna é disputado pelas imobiliárias, um incidente no emprego e o caso de investigação. O clima das visões pode transitar por associações reais ou imaginárias, entre o realismo visual ou intelectual, isto é, entre o que existe e o que sabe existir”.

didi

"Cenas Brasileiras" (1980), um Adir da fase inaugural

Sobre Adir Sodré, o escritor e imortal Ignácio de Loyola Brandão escreveu: “Alminhas inocentes, não se afastem. Percam a pureza inútil e mergulhem no Adir. Eu vou dizer mais: chafurdem nesta ironia sem contemplações, se envolvam no delírio mais autêntico, real, atual.

Conservadores, joguem fora o pudor.

Caretões, adeus à hipocrisia.

Ingênuos, como é possível ainda?

O que é isso? Nenhuma loucura. Apenas a placidez que Adir devolve a um mundo febril, de boca aberta. Cheio de pessoas em convulsão. Espasmos”.

nunes

"Pássaros na Beira Rio" (2003), obra de Benedito Nunes

Thania Arruda, Coordenadora de Cultura e Vivência, destaca a importância das exposições homenagens à Benedito Nunes (23/09) e ao Adir Sodré (24/09) integrarem a 14ª Primavera dos Museus do IBRAM a nível nacional  e o programa "A importância da Cultura nos 50 anos da UFMT", ampliando o alcance que os dois artistas reconhecidamente merecem e conquistaram em vida. "Sem sombra de dúvida o legado de Nunes e Sodré engrandece e ilumina a cena artística e intelectual de Mato Grosso para o mundo". (*com assessoria)

didi

Adir, no século passado, clicado por Aline Figueiredo


SERVIÇO

O QUE: Exposições Virtuais de Benedito Nunes e Adir Sodré na 14ª Primavera dos Museus
ABERTURA: 23 e 24 de setembro às 20h (respectivamente), às 20h (MT)
ONDE: Plataforma Cultura e Vivência da UFMT/PROCEV
LINK: https://culturaufmt.wordpress.com/

 


Voltar  

Agenda Cultural

Veja Mais

Newsletter

Preencha o formulário abaixo para receber nossa newsletter:

  • Nome:

  • Email:

  • assinar

  • cancelar


Copyright © 2012 Tyrannus Melancholicus - Todos os direitos reservadosTrinix Internet