LETRAS DE MT

Autora de muitos leitores e carinhos



Tereza, Lorenzo e Mônica em 1979... direto do túnel do tempo

A literatura de Mato Grosso será lembrada nesta quarta-feira em terras distantes. Em Nova York, a autora Tereza Albues Einsestat, recebe homenagem do Instituto Brazilian Endowment for the Arts, uma organização voltada à cultura brasileira, que tem como objetivo desenvolver a promover nos Estados Unidos as artes e as tradições brasileiras.

Tereza saiu de cena em 2005, mas teceu uma valorosa teia de amigos por onde passou. Estudiosa e culta, era interessadíssima nos assuntos culturais. Essa vivência com o ambiente e as pessoas do meio artístico, associado ao consumo constante das artes e a memória prodigiosa – que todo bom escritor tem, lhe propiciaram formação cultural rara, que soube aplicar em sua narrativa envolvente. Era boa de texto e de conversa também.

Nasceu em Várzea Grande, estudou e viveu um tempo no Rio de Janeiro e, em 1983, mudou-se de mala e cuia para Nova York. Embora distante, jamais perdeu o vínculo com Mato Grosso e visitava Cuiabá quase que anualmente.

A ideia da homenagem partiu de Domicio Coutinho, professor doutor em Literatura, fundador e presidente da Biblioteca Brasileira de Nova York, que dará uma placa honorária para Tereza (em memória). Domicio tem 82 anos e uma energia juvenil. O professor tinha projetos a desenvolver com Tereza e ficou arrasado com sua morte em 2005. Ele é um dos ativistas culturais que participa da homenagem, que terá início às 18h, horário de Nova York (20h, horário de Cuiabá).

De Nova York estarão presentes no evento outros amigos e militantes culturais como Robert Henry Moser, Ph.D. pela Universidade de Georgia; Clifford Landers, tradutor; Robert Eisenstat, arquiteto e viúvo de Tereza; Gerald Thomas, escritor e diretor de teatro com carreira internacional; além de Liza Papi, responsável pela organização da homenagem.

Do Brasil, via internet (skype), manifestam-se Mario Cezar Leite, professor Doutor da Universidade Federal de Mato Grosso; e Gloria Albues, irmã de Tereza e diretora de teatro e de cinema, além de correspondente do Tyrannus Melancholicus, Izan Petterle, fotógrafo da Nacional Geografic; e o editor do Tyrannus, Lorenzo Falcão (eu mesmo).

“Após a homenagem, que será toda gravada, vamos fazer um pequeno documentário e postá-lo no youtube”, adiantou Liza Papi. Liza lamentou a impossibilidade do evento ser transmitido ao vivo pela internet.

A homenagem acontece nesta data porque é um dia da semana no qual a instituição promove semanalmente o “Quarta Literária”. O evento conta ainda com a participação de Alcinda Shaphira, diretora da biblioteca que ajuda na organização, Gustavo Braga, um expert em tecnologia da comunicação que também atua como mestre de cerimônia nos eventos e Daryl King, que auxilia na tradução dos textos.

Tereza

Era romancista, contista, jornalista, advogada e produtora cultural. Seu primeiro livro publicado, em 1985, foi o romance “Pedra Canga” (Editora Philobiblion), traduzido por Clifford Landers e publicado em inglês em 2001, pela Green Integer Press. Também são de sua autoria os romances Chapada da Palma Roxa (1991), A Travessia dos Sempre Vivos, (1993), O Berro do Cordeiro (1995). Em 1999 recebeu Menção Honrosa no Concurso de Contos Guimarães Rosa, em Paris, com o conto Buquê de Línguas. O romance A Dança do Jaguar foi lançado em 2001 no Salão do Livro, em Paris.

Albues tem seu nome registrado no livro História da Literatura de Mato Grosso – Séc. XX, de Hilda Magalhães (Unicen Publicações, 2001); na Enciclopédia de Literatura Brasileira, direção de Afrânio Coutinho e J. Galante de Souza (Rio de Janeiro: FBN/DNL/Academia Brasileira de Letras, 2001); e no Dicionário Crítico de Escritoras Brasileiras, de Nelly Novaes Coelho (São Paulo: Escrituras, 2002). Seus livros têm sido objeto de estudos, seminários e debates nos cursos de literatura em universidades do Rio de Janeiro e de Mato Grosso.


Voltar  
5 Comentrio(s).
muito bem lembrado, elaine, ainda mais porque faltou na matéria a menção a existência desse livro. grato
enviada por: tyrannus    Data: 30/01/2013 18:06:46
Fico feliz com a merecidíssima homenagem! Vale lembrar que o livro Buquê de Línguas está no mercado para quem quiser saboreá-lo!
enviada por: Elaine Caniato    Data: 30/01/2013 13:01:01
Um reconhecimento justo que honra a boa tradição literária de Mato Grosso. Valeu Luís e Cristina, gratos pelos comentários!
enviada por: tyrannus    Data: 30/01/2013 12:12:09
Tereza Albues é um dos grandes nomes da Literatura Mato-grossense. Vale a pena conhecer a sua obra. Fico feliz com a homenagem, pois ela merece!
enviada por: Cristina Campos    Data: 30/01/2013 09:09:44
Tive a honra de ter sido amigo de Thereza Albues.Essa homenagem é um reconhecimento da importancia da literatura produzida por ela.Adpatei para o teatro dois contos de sua autoria - Vespa Sete e a Virgindade Conestada - ambos encenados pela dupla Liu Arruda e Ivan Belem na década de 90.A sua obra é universal. Como cuiabano,mato-grossense, sinto-me orgulhoso por esta homenagem.Parabens aos familiares e promotores desta bela homenagem.Viva Thereza !
enviada por: luiz carlos ribeiro    Data: 29/01/2013 23:11:10

Agenda Cultural

Veja Mais

Newsletter

Preencha o formulário abaixo para receber nossa newsletter:

  • Nome:

  • Email:

  • assinar

  • cancelar


Copyright © 2012 Tyrannus Melancholicus - Todos os direitos reservadosTrinix Internet