ENTREVISTA

“Passeio Noturno” vence premiação nacional



laércio miranda

pn

 

"Lorenzo, recebi as perguntas e estou correndo aqui com uma prestação de contas, mas te respondo daqui a pouco". Esse é Jefferson Jarcem, na tarde domingueira, atendendo ao meu telefonema. Ele é ator e fundador do Grupo Tibanaré, uma das trupes teatrais mais atuantes de Mato Grosso nos últimos anos.

A entrevista com Jefferson é uma pauta ótima. Um papo sobre o destaque que o Tibanaré acaba de receber, como grande vencedor do Prêmio Brasil Criativo, na categoria Artes Cênicas/Teatro, com o espetáculo "Passeio Noturno". O grupo mato-grossense concorreu com iniciativas de todo o Brasil e, ao final, sagrou-se vencedor. Já fica aqui o parabéns do Tyrannus e toda a nossa alegria pela distinção. Vocês sabem como é, né? Têm horas que não dá pra disfarçar um certo bairrismo.

Mas não é só isso, o bairrismo pura e simplesmente. Não faltam os méritos e resgato a minha emoção. É que, no final de 2015, acompanhei de perto os espetáculos da segunda edição do Boloflor, festival de teatro de rua. Num dos dias da jornada, entrei num ônibus todo ambientado, para participar de um "Passeio Noturno" pelas ruas do Centro Histórico de Cuiabá.

Nesse trajeto, conduzidos por uma espécie de guia, fomos revivendo as lendas urbanas cuiabanas, causos e histórias já seculares, e embasados em obra da saudosa Dunga Rodrigues, uma das mais brilhantes artistas que Cuiabá já teve. E agora vamos logo à conversação com Jefferson. As perguntas foram respondidas por ele e por Fernanda Gandes, produtora do Tibanaré.

Já caiu a ficha? Se sim (ou mesmo que não), diz aí como está o Tibanaré após faturar o Prêmio Brasil Criativo (categoria artes de espetáculo/teatro)?

Sim, caiu a ficha! Viajamos para o Prêmio Brasil Criativo acreditando em nosso projeto, pois estávamos entre os três melhores da categoria teatro. Confesso que chegamos ansiosos, sem nenhuma ideia da seleção dos curadores, mas sem perder o espaço de celebrar e construir relações com outros profissionais incríveis que estavam no evento.

Foi maravilhoso ouvir o nome do espetáculo como ganhador deste ano. Importantíssimo observar o respeito e admiração pelo espetáculo vindo do diretor de Marketing da empresa patrocinadora do prêmio, dos curadores que estavam lá presentes, como o Facundo Guerra, um cara extraordinário por sinal, e de outros artistas que conheceram o Grupo Tibanaré através das redes. Isso responde um pouco sobre o que estamos construindo, somos apaixonados pelo nosso trabalho, temos paciência em equalizar nossas obras, apreciamos conversar com o público, muitos já são amigos, e o teatro é relação, compreende? E principalmente, temos respeito pelas nossas tradições desenvolvidas por muitas mãos, mente e coração há dez anos.

Agora, Tibanaré depois deste Prêmio? (risos)

Ainda não sabemos, vamos entrar num período de recesso, pois estamos há uns cinco anos sem férias, trabalhando sem parar, entretanto, já temos algumas metas para 2017 e 2018 desenhadas no início deste ano.

laércio miranda

pn

 



Fale um pouco sobre a cronologia do espetáculo "Passeio Noturno". Como surgiu a ideia e como ela se desenvolveu até se concretizar...

A ideia começou há alguns anos atrás, através da provocação de uma amiga com os contos de Dunga Rodrigues (Naine Terena), no ano de 2009. E quando fomos premiados pela Fundação Nacional de Artes - Funarte, através do Prêmio Funarte Artes na Rua em 2011 para executar uma pesquisa sobre as lendas urbanas do centro histórico de Cuiabá, no que resultou numa primeira versão do espetáculo em que o público acompanhava 11 personagens pelos calçadões e ruas revivendo algumas dessas lendas de “arrepiar os cabelos” e traçando um novo olhar para a cidade. Neste processo, a gente queria levar o público mais longe, queríamos caminhar por outros becos e ruas mais distantes e então, veio o “insight” do ônibus coletivo urbano, mas com os recursos financeiros do Prêmio não era possível executar. O sonho continuou na equipe e então, conseguimos viabilizar a versão final com o ônibus em 2015, através da Lei Rouanet, contemplados em editais públicos de patrocínios e muitas parcerias locais. Em 2015, o espetáculo fez uma temporada de 28 apresentações, com ingressos custando uma passagem de ônibus. A experiência acontece dentro de um ônibus, adaptado e personalizado para o espetáculo e leva o espectador a percorrer a cidade, através de um city tour, apresentando Cuiabá e o patrimônio material e imaterial sob uma outra perspectiva e que tem muito a nos contar em seus casarões, ruas, ruelas, becos e calçadões. Em resumo, o espetáculo Passeio Noturno é um ônibus de turismo do Sr. Chico. Toda semana percorre o centro histórico de Cuiabá com o público, retratando as histórias antigas das arquiteturas, de fatos históricos e das lendas urbanas que permeiam as ruelas e becos do local. Um dia como outro qualquer, público chegando, passeio iniciando, lendas desabrochando ao entardecer e o nosso misterioso guia é surpreendido pela sua falecida noiva de branco na frente do cemitério, que o aguarda para concretizar seu último desejo: o casamento. Dali, o público é transportado a um suspense cômico, conhecendo uma Cuiabá sob uma perspectiva diferente, misteriosa, sombria, porém festiva, romântica e aventureira. Nesta versão tivemos quatro personagens (Sr. Chico, Dona Maria, Noiva de Branco e a Morte). A receptividade do público foi muito grande, ainda recebemos muitas mensagens das pessoas querendo que a temporada volte. Queremos voltar e estamos tentando realizar a segunda edição em 2017.

A premiação projeta o fazer teatral mato-grossense em nível de Brasil e o Tibanaré venceu esse certame nacional. Mas a efervescência da dramaturgia em nosso Estado é algo que vem se cristalizando nos últimos anos. Várias iniciativas do nosso teatro têm conquistado destaque nacional. Na sua opinião, a que se deve essa projeção das artes cênicas de MT?

Creio que por inúmeros fatores. Um deles, que observamos, é que os artistas de teatro estão se arriscando mais, botando a mão na massa e colocando suas ideias no mundo, acreditando no seu trabalho. Estamos vendo muitos atores fazendo pesquisa de trabalhos individuais e coletivos, explorando, interagindo com o público e com os espaços e fazendo isso de forma continuada, mesmo num ano de crise e de grande instabilidade política, o que de certa forma, gera um estimulo para ele e para os outros. Muitos estão interessados em expandir os seus trabalhos, aperfeiçoar os conhecimentos teóricos, de produção e em como viabilizar tudo isso.


Melhorar sempre é possível e desejável. O que você acha que deve ser feito em nível de apoios governamentais (municipal e estadual), e também da parte dos artistas e grupos, para que o teatro mato-grossense continue crescendo e aparecendo cada vez mais?

Tivemos, em linhas gerais, os editais de circulação e de montagens, Circuito de Festivais que também fomentou a produção local, os teatros que foram entregues para os artistas e para a população e recentemente a implantação da MT Escola de Teatro. Entretanto, esta é uma questão muito ampla e que precisa ser debatida entre a classe, pois ainda temos muito a conquistar, tivemos alguns avanços, mas ainda encontramos muitas dificuldades básicas para o desenvolvimento do setor no nosso Estado. Tem a questão orçamentária, da ocupação dos espaços pelos grupos, fomento a manutenção para os grupos e artistas de teatro, apoio a pesquisas e para aqueles que estão iniciando, de circulação, de intercâmbio, capacitação, qualificação, incentivos privados, entre outros... E cabe a nós fazermos o acompanhamento, construir juntos, com ideias, debates, avaliações e estar inseridos mesmo no processo para que, de fato, as políticas públicas atenda às necessidades e gere a sustentabilidade do setor.

junior silgueiro

pn

 



Sobre os novos projetos e os planos futuros do Tibanaré... O que você pode adiantar?

Estamos trabalhando na temporada 2017 do Passeio Noturno, retornando com o Núcleo de Teatro Tibanaré na região do Coxipó, mantendo as pesquisas de rua com experimentações, circulações com os espetáculos pelo interior de Mato Grosso e iremos participar de alguns Festivais Nacionais de Teatro no ano que vem. Vai ter também intercâmbio com o Lume Teatro e outras coisas que preferimos revelar aos poucos.


Jefferson, abro aqui o espaço pra você dizer mais alguma coisa que talvez ainda não tenha dito ao resçponder as outras perguntas. Diga lá o que quiser, mas, se nada mais tiver a dizer por enquanto, por favor, não se cale para sempre...

Acho que só agradecer ao público, que é o nosso maior incentivador nesta jornada de dez anos e a nossa equipe, que acredita nos sonhos do coletivo e batalha muito para tudo acontecer da melhor forma. A todos que votaram e vibraram com esta conquista. Recebemos muitas mensagens e energias positivas... Estamos de alma lavada! rs

junior silgueiro

pn

 

junior silgueiro

pn

 


Voltar  
1 Comentrio(s).
Oi Lorenzo, agradecemos a entrevista kkkkkk fantástico o uso dos papos informais kkkkkk Abraços queridão!
enviada por: Jefferson Jarcem    Data: 21/12/2016 11:11:18

Agenda Cultural

Veja Mais

Newsletter

Preencha o formulário abaixo para receber nossa newsletter:

  • Nome:

  • Email:

  • assinar

  • cancelar


Copyright © 2012 Tyrannus Melancholicus - Todos os direitos reservadosTrinix Internet