AUDIOVISUAL

"Tem que ser agora"



agora

O câmera Marcelo Biss e o diretor da série, Duflair Barradas

O piloto da série “Tem que ser agora” começou a ser filmado em Cuiabá neste final de semana. O episódio faz parte dos nove produtos audiovisuais em produção, através do edital da Secretaria de Estado de Cultura de Mato Grosso (SEC-MT), em parceria com a Ancine e Fundo Setorial do Audiovisual (FSA).

"Tem que ser agora" é uma série de ficção de 13 episódios, produzida pela Latitude Filmes, dirigida por Duflair Barradas e escrita por Stéfanie Medeiros. As gravações começaram na sexta (7). 

De acordo com o diretor, Duflair Barradas, o primeiro dia de gravação é sempre um pouco mais complicado, porque é necessário alinhar a equipe, fazer com que todo mundo se conecte e esteja funcionando como um relógio. “A gente conseguiu superar o primeiro dia com sucesso, cumprimos o cronograma estabelecido. Além disso, foi um trabalho estética e tecnicamente muito bom, os atores foram muito bem preparados pelo Jefferson Jarcem e os ensaios ajudaram muito na execução das cenas”, disse.

Sobre o trabalho de direção, Barradas explicou que a função do diretor no piloto de ficção é transformar o roteiro em uma obra audiovisual. “Para isso a gente usa de aspectos técnicos de fotografia, som, composição, arte, etc. Assim a gente realiza todo um conteúdo imagético em cima do roteiro, mas de forma que o diretor também crie. O produto final é sempre uma soma do que está no roteiro com a imagem que o diretor imagina e coordena nos quadros que monta com a câmera”, explicou.

Quem assina o roteiro é a escritora Stéfanie Medeiros. Ela começou a trabalhar na ideia de “Tem que ser agora” no final de 2015. “Na época, a história era para um roteiro de longa-metragem de ficção. No ano seguinte, conheci o Duflair Barradas, com quem estava desenvolvendo outro projeto. Nas conversas, mencionei o ‘Tem que ser agora’ A partir daí comecei a retrabalhar a trama para uma série de 13 episódios”, disse.

agora

No episódio piloto, a personagem Amélia (Gabriella Di Grecco) é o fio condutor da história

Sobre a inspiração para a história, Medeiros contou que retomou algumas experiências do seus anos de faculdade. “A base da história veio dos primeiros anos na faculdade de jornalismo, a relação com meus próprios amigos, com meu ex-namorado e comigo mesma. É uma forma de olhar para o passado, mas com a possibilidade de mudar algumas coisas, de repensar a realidade através da ficção”. 

Sinopse 

Esta temporada acompanha um grupo de seis amigos durante o primeiro ano de faculdade. A trama fala dos conflitos, sonhos e anseio de cada um deles, mostrando também a relação do grupo entre si e com o meio acadêmico. 

No episódio piloto, a personagem Amélia (Gabriella Di Grecco) é o fio condutor da história. Ela aspira trabalhar em um jornal institucional logo no primeiro semestre, mas se vê competindo pela única vaga com outra aluna nova, Natália (Alana Dezena). As duas têm que escrever uma matéria para concorrerem à vaga. Neste meio tempo, Felipe (Filipe Ribeiro), namorado de Amélia, decide organizar uma festa. 

Com a ajuda de Joana (Giovanna Prates), Gustavo (Leon Marques) e Guilherme (Patrick Majela), Felipe planeja uma confraternização entre calouros e veteranos que não é exatamente o que parece, atrapalhando os planos de Amélia. (*com assessoria)

agora

Jefferson Jarcem, preparador do elenco, com a roteirista Stéfanie Medeiros


Voltar  

Agenda Cultural

Veja Mais

Últimas Notícias

Mais Notícias

Newsletter

Preencha o formulário abaixo para receber nossa newsletter:

  • Nome:

  • Email:

  • assinar

  • cancelar


Copyright © 2012 Tyrannus Melancholicus - Todos os direitos reservadosTrinix Internet