PROGRAMA SIMININA

Unidade foi inaugurada em dezembro



gustavo duarte

siminina

O funcionamento do novo polo é uma grande conquista para a região, que é formada, em sua maioria, por famílias carentes

Inaugurada em dezembro de 2017, a unidade de atendimento do programa Siminina do distrito do Sucuri, Zona Rural da Capital, já está prestando assistência para mais de 30 meninas. Com uma equipe de três monitoras e visitas frequentes de profissionais da saúde física e psicológica, as meninas, de 7 a 14 anos, recebem atividades educacionais, acompanhamento pedagógico e psicológico, aulas de pintura, dança, e também o fortalecimento de vínculo familiar. A nova unidade é a 16ª do programa e a primeira da gestão Emanuel Pinheiro.

“Ver esta unidade em funcionamento, com as meninas sendo assistidas de maneira digna, nos deixa extremamente feliz, pois é mais uma comunidade alcançada, mais pessoas sendo incluídas no sistema social. Isso tudo, com muita qualidade, que é a determinação da primeira-dama Márcia Pinheiro, de sempre possibilitar o acesso à inclusão social com o que existe de melhor, levando um atendimento completo às meninas,” destaca a coordenadora do Siminina, Dalma Beatriz Monteiro.

De acordo com a coordenadora da unidade do Sucuri, a assistente social Hilce Manteufel, que já desenvolvia junto à comunidade trabalhos de pintura, bordados e auxilio escolar, o funcionamento do polo é uma grande conquista para a região, que é formada, em sua maioria, por famílias carentes, sendo o grupo que mais necessita dos atendimentos.

“Eu tenho um carinho imenso por esta comunidade. Venho acompanhando, dentro das minhas possibilidades, todos os que me procuram. Enxergo as dificuldades, mas não as coloco com obstáculos para o crescimento. E é isso que tendo passar nas aulas, que todas têm talentos para mudar a condição de vida atual e chegar no topo, com o melhor que a vida pode proporcionar,” elucidou  Hilce.

Ampliação de atendimento Siminina - Além destas atividades, a unidade desenvolve também o processo do “Jovem Siminina”- uma extensão do programa, que tem como base encaminhar as meninas ao mercado de trabalho-, oferendo capacitação adequada para que elas cheguem nesta fase tão importante, bem preparadas e alcance boas colocações. A base dentro do programa é destinada às meninas que já completaram 15 anos. Junto com elas são desenvolvidos a capacitação voltada ao primeiro emprego e os cursos, como Patchwork.  

A extensão, segundo Dalma Monteiro, foi uma das primeiras medidas tomadas pela primeira-dama e já certificou uma turma de 20 meninas, no fim do ano de 2017. “Quando assumimos o projeto, o primeiro olhar da Márcia foi ao cuidado com as meninas após elas encerrarem as atividades dentro do projeto. Entendemos que é de extrema importância que elas se sintam amparadas neste período de dúvidas e escolhas, para que consigam desenvolver com qualidade esta entrada no mercado de trabalho, que refletirá na formação de cada uma,” diz a coordenadora.

Que complementa lembrando que para este ano, os trabalhos continuam, com padronização de todas as unidades, incluindo estrutura física e de pessoal, aprimoramento das atividades e cursos. “A primeira-dama Márcia Pinheiro está buscando mais parcerias, para que consigamos colocar em prática o processo de reestruturação das demais unidades, ampliar os atendimentos, possibilitando que mais meninas sejam alcançadas dentro do programa, com foco sempre na transformação da vida de cada uma junto às suas famílias. Isso é uma das metas estipuladas pela primeira-dama, e vamos cumpri-las com muito afinco,” completa Dalma Monteiro.

O funcionamento das 16 unidades do programa Siminina acontece de segunda a sexta-feira, das 8h às 18h, onde as meninas desenvolvem as atividades no modo extraclasse - como objetivo principal complementar o trabalho realizado em sala de aula. Atualmente, o programa assiste mais de 900 meninas, e a meta para este ano é alcançar 1500 simininas.

As inscrições para as atividades 2018 já estão abertas e podem ser realizadas nos polos de atendimento de cada região. O responsável deve comparecer em um dos polos, munido de documento de identificação da menor junto com o Número de Identificação Social (NIS). Caso não possua o NIS, o responsável deve se dirigir a um Centro de Referência Social (Cras) mais próximo para efetuar o cadastro.  As atividades terão início no dia 15 de fevereiro.

Mais informações (65) 3637-3557 - Núcleo de Coordenação Siminina. (*da assessoria da Prefeitura de Cuiabá)

 

 


Voltar  

Confira também nesta seção:

Agenda Cultural

Veja Mais

Newsletter

Preencha o formulário abaixo para receber nossa newsletter:

  • Nome:

  • Email:

  • assinar

  • cancelar


Copyright © 2012 Tyrannus Melancholicus - Todos os direitos reservadosTrinix Internet