MARTHA BAPTISTA

Em busca das ilusões perdidas



Leio com alegria que o Sesc Arsenal vai iniciar neste sábado a Mostra Tati Por Inteiro, que será inaugurada com a exibição do filme "Meu Tio" , às 19h, seguida por um debate com Stéphane Goudet, mestre em História e Estética do Cinema, crítico e especialista e Tati.

Por que essa alegria? O diretor e ator francês Jacques Tati me desperta as melhores lembranças. Não me lembro ao certo com que idade assisti aos seus filmes, mas acredito ter sido no início da minha adolescência – aquela fase da vida que quando entramos nos entas nos parece tão deliciosa, mas que na verdade guarda momentos de muita insegurança e inquietação quanto ao que o mundo nos reserva.

Apesar de toda essa sensação de inadequação e desconforto físico e mental, a adolescência também tem um lugar especial para os sonhos, a esperança e uma certa ingenuidade. Quando eu era adolescente, acompanhava a política nacional – e internacional – com curiosidade, vibrava com a vitória dos sandinistas na Nicarágua (acompanhadas por meio dos relatos incríveis do jornalista Silio Boccanera no saudoso Jornal do Brasil) e não achava que as pessoas públicas – artistas, políticos, etc – pudessem ser tão midiáticas. Em outras palavras, eu acreditava que havia limites para a mentira, a hipocrisia, a desfaçatez. Hoje, perdi essa ilusão.

Mas voltando ao Tati, eu me deliciava tanto com os seus filmes! Depois de décadas, fica até difícil dizer o que me agradava mais no seu trabalho. Talvez fosse a graça pueril do personagem "Monsieur Hulot", com suas marcas registradas: o cachimbo, a capa e o guarda-chuva.

Gostei particularmente de "Play Time" (Tempo de diversão), que será exibido no CineSesc na próxima terça-feira, às 19h. Era engraçado, irônico e continha um tipo de humor sutil, utilizado para que o diretor/ator Jacques Tati fizesse uma crítica sobre a sociedade excessivamente consumista.

Tenho muitas saudades de artistas que me fizeram rir no cinema (ou na TV) na minha infância/adolescência: Charles Chaplin com seu Carlitos, os irmãos Marx, o Gordo e o Magro, a série inglesa Monty Phyton, sem falar em Jô Soares (eu adorava o Jô comediante) e Ronald Golias, meus preferidos entre os brasileiros.

Nos anos 60/70, vivíamos a Guerra Fria em nível internacional e a ditadura no plano nacional. Eu não estava alheia a tudo que acontecia, pois já era muito ligada no noticiário, lia revistas (como Realidade, Veja) e muitos livros. Mas, apesar do clima de tensão e terror, ainda guardava a "esperança equilibrista" (a genial criação de Aldir Blanc na música "O Bêbado e o equilibrista", parceira com João Bosco) e uma alegria que me fazia rir de filmes como "Play Time", "Meu tio", "Trafic" de Tati e outros.

Para quem não conhece a filmografia de Tati, a mostra do Sesc Arsenal é uma oportunidade ímpar para tirar o atraso.

Leio no Tyrannus, que Tati começou sua carreira no cinema aos 40 anos, depois de ter sido desportista durante anos. Descubro no wikipédia que o artista se endividou muito por causa do filme "Play time" (1970) que, apesar do sucesso de crítica, foi um retumbante fracasso comercial. Leio também que, embora reverenciado hoje por cineastas do porte de Steven Spielberg, Tati não parece ter recebido em vida a devida consideração.

"Adieu Monsieur Hulot. On le pleure mort, il aurait fallu l’aider vivant" – foi o título do artigo dedicado a ele por Philippe Labrot no Paris Match após a morte de Tati em 4 de novembro de 1982, há 30 anos! Podemos traduzir a frase como "Adeus, Monsieur Hulot. Choramos a sua morte, em vida não o ajudamos".

Na esperança de reverter meu atual quadro de desilusão, pretendo rever os filmes de Tati. Mas, lá no fundo, tenho um pouco medo de que tenha perdido a capacidade de me divertir com um humor tão anos 1970. Tomara que não!



*Martha Baptista é jornalista e colabora com o Tyrannus Melancholicus

Mais textos da jornalista estão em seu blog


http://martha-caentrenos.blogspot.com.br/


Voltar  

Agenda Cultural

  • Em Cartaz:
  • Feira do Vinil
  • Dia: 23 de março
  • Local: Casa Cuiabana
  • Informações: 99225-6204
Veja Mais

Newsletter

Preencha o formulário abaixo para receber nossa newsletter:

  • Nome:

  • Email:

  • assinar

  • cancelar


Copyright © 2012 Tyrannus Melancholicus - Todos os direitos reservadosTrinix Internet