CABECEIRAS DO PANTANAL

"Não Vivo Sem Você", by WWF-Brasil



granpantanal

pa

As águas da região são o alvo das declarações de amor de brasileiros de todas as idades e culturas na campanha

Amor também significa cuidar. E enquanto os casais em todo o país se preparam para o Dia dos Namorados, o WWF-Brasil aproveita a data comemorativa e o mês do meio ambiente para chamar a atenção de todos para o Pantanal e a necessidade de conservação de seus rios e nascentes.

Foco do projeto Pacto em Defesa das Cabeceiras do Pantanal, idealizado pelo WWF-Brasil, as águas da região são também o alvo das declarações de amor de brasileiros de todas as idades e culturas na campanha “Não Vivo Sem Você”.

A campanha tem como conceito destacar a importância da água para a vida de uma maneira que as pessoas não estão acostumadas a pensar. O que você diria se fosse fazer uma declaração para a água, já que, sem ela, você literalmente não vive? A partir dessa provocação, as pessoas são estimuladas a mandarem mensagens de amor para os rios e nascentes do Pantanal, cuja preservação é fundamental para todo um bioma.

Além de um vídeo de lançamento divulgado nas redes sociais, a campanha “Não Vivo Sem Você” terá diversos conteúdos publicados no ambiente digital e vai culminar com uma ação promocional em Brasília e Cuiabá, capital do Mato Grosso e uma das portas de entrada para o Pantanal.

Nos dias 10 e 11 de junho, um painel interativo será montado nas duas capitais. As pessoas poderão, então, escrever declarações de amor em corações azuis, que serão usados para dar vida às águas do Pantanal reproduzidas no painel. A ação renderá um vídeo que vai mostrar todo o processo coletivo de “recuperação” das águas do painel e que será divulgado no Dia dos Namorados, 12 de junho, para que pessoas de todo o Brasil possam mandar suas próprias mensagens de amor aos rios e nascentes do Pantanal.

Em Cuiabá, a ação acontece no 1º piso do Goiabeiras Shopping, em frente à loja Siberian, das 10h às 22h.

Pacto em Defesa das Cabeceiras do Pantanal

Idealizada pelo WWF-Brasil, a aliança une o setor público (Governo do Estado de Mato Grosso e Prefeituras), o setor privado (empresas, indústrias e setor agropecuário) e a sociedade civil organizada (organizações não governamentais, universidades, associações) para proteger as águas do Pantanal.

O objetivo principal é conservar e recuperar a área conhecida como “Cabeceiras”, onde nascem as águas que possibilitam a inundação de quase 80% da planície – o Pantanal – e mantêm a biodiversidade, os processos ecológicos e a paisagem cênica pantaneira.

O Pantanal é a maior área úmida do Planeta. Ocupa parte dos estados de Mato Grosso e Mato Grosso do Sul e estende-se pela Bolívia e Paraguai e concentra uma rica biodiversidade. Já foram registradas no Pantanal pelo menos 4.700 espécies, incluindo animais e plantas. Embora abundante em água - o Pantanal é conhecido como "reino das águas" por ser um imenso reservatório de água doce - essa riqueza está ameaçada.

O estudo "Ánalise de Risco Ecológico da bacia do Rio Paraguai”, lançado em 2012 pelo WWF-Brasil e parceiros, revelou que a área das cabeceiras do Pantanal - local onde nascem as águas responsáveis pelas cheias da planície pantaneira - está em alto risco ecológico, apresentando o maior nível de ameaça.

O Pantanal depende da manutenção do ciclo hidrológico, que permite o subir e baixar das águas e a inter-relação entre as espécies. Qualquer mudança nesse ciclo pode comprometer os ecossistemas e modificar toda essa paisagem.

Desde 2012, o WWF-Brasil investe todos os seus esforços na conservação das Cabeceiras. A organização se juntou com parceiros locais, como o Consórcio Nascentes do Pantanal, prefeituras e associações e o governo do estado de Mato Grosso, para construir um projeto democrático, aberto e transparente que cuidasse das águas dessa região.

A conservação dessa área é fundamental não só para manter a biodiversidade e a integridade do Pantanal, mas também para o desenvolvimento sustentável da região e o abastecimento de cidades e áreas rurais - onde vivem mais de 3 milhões de pessoas -mas também para diversos setores que dependem do uso da água para suas atividades.

Por isso, o Pacto foi pensado para garantir, além da integridade ecológica do Pantanal, água limpa e abundante para todos os usos.  (*com Yod Comunicação Integrada)


Voltar  

Agenda Cultural

Veja Mais

Newsletter

Preencha o formulário abaixo para receber nossa newsletter:

  • Nome:

  • Email:

  • assinar

  • cancelar


Copyright © 2012 Tyrannus Melancholicus - Todos os direitos reservadosTrinix Internet