POESIA

Lívia Tucci

Posfácio*

 

De todas as formas,
a que mais emana,
a que mais lateja
é a brecha sumarenta,
a que impele
a secreção da trama,
nau de placenta.

Úmida urdidura,
ninho de lagos,
em vão,
a esperar no porto
mil caravelas de náufragos.

Ávida tessitura,
nauta sideral,
a implodir
estrelas,
pelo avesso do cristal.



*Reproduzido de http://www.antoniomiranda.com.br


Voltar  

Confira também nesta seção:
23.02.18 17h30 » Charles Cros
21.02.18 17h30 » Nikos Engonópoulos
19.02.18 17h11 » Geraldo Carneiro
17.02.18 17h30 » Ruy Belo
15.02.18 17h30 » Homero
13.02.18 17h30 » Corsíndio Monteiro da Silva
11.02.18 17h30 » Ana Caetano
09.02.18 17h24 » Zito Batista
07.02.18 17h30 » Nichita Stanescu
05.02.18 17h30 » Benedito Pedro Dorileo
03.02.18 17h30 » Paulo Bruscky
01.02.18 17h30 » Alfred Tennyson
30.01.18 17h21 » Lívia Tucci
28.01.18 18h00 » Vassíli Kamiênski
26.01.18 18h00 » Boris Hristov
24.01.18 17h39 » Virna Teixeira
22.01.18 18h00 » Camilo Pessanha
20.01.18 18h00 » Tânia Tomé
18.01.18 18h00 » Antonio Oliveira
16.01.18 17h45 » Dílson Lages Monteiro

Agenda Cultural

Veja Mais

Últimas Notícias

Mais Notícias

Newsletter

Preencha o formulário abaixo para receber nossa newsletter:

  • Nome:

  • Email:

  • assinar

  • cancelar


Copyright © 2012 Tyrannus Melancholicus - Todos os direitos reservadosTrinix Internet