POESIA

Eduardo Lizalde

Grande é o ódio*

 

Grande e dourado, amigos, é o ódio.
Tudo o que é grande e dourado
vem do ódio.
O tempo é ódio.

Dizem que Deus se odiava em ato,
que se odiava com a força
dos infinitos leões azuis
do cosmos;
que se odiava
para existir.

Nascem, do ódio, mundos,
óleos perfeitíssimos, revoluções,
tabacos excelentes.

Quando alguém sonha que nos odeia, apenas,
dentro do sonho de uma pessoa que nos ama,
já vivemos no ódio perfeito.

Ninguém vacila, como no amor,
na hora do ódio.

O ódio é a única prova indubitável
da existência.

 

*Reproduzido de http://www.algumapoesia.com.br , com tradução de Plinio Junqueira Smith

Eduardo Lizalde, poeta do México

 


Voltar  

Confira também nesta seção:
22.03.19 20h00 » Leo Barth
20.03.19 18h00 » Altair Leal
18.03.19 14h00 » Quinita Ribeiro Sampaio
15.03.19 21h00 » Ramon Carlos
13.03.19 18h00 » Cássia Janeiro
11.03.19 12h00 » Edson Flávio Santos
08.03.19 20h00 » Andri Carvão
06.03.19 18h00 » Ivo Andric
04.03.19 09h00 » Líria Porto
01.03.19 20h00 » Ricardo Escudeiro
27.02.19 18h00 » Lars Gustafsson
25.02.19 13h00 » Luís Quintais
22.02.19 20h00 » John Clare
20.02.19 17h30 » Laís Corrêa de Araújo
18.02.19 14h30 » Luís Pimentel
15.02.19 19h00 » Thomas Moore
13.02.19 16h40 » Esteban Moore
11.02.19 13h00 » Andreas Embirikos
08.02.19 20h00 » Timur Bék
06.02.19 18h00 » Reinaldo Ferreira

Agenda Cultural

Veja Mais

Newsletter

Preencha o formulário abaixo para receber nossa newsletter:

  • Nome:

  • Email:

  • assinar

  • cancelar


Copyright © 2012 Tyrannus Melancholicus - Todos os direitos reservadosTrinix Internet