POESIA

Zang Kejia

Algumas pessoas*

 

existem pessoas vivas
que já estavam mortas
existem pessoas mortas
que ainda vivem

 

algumas pessoas
montando na cabeça do povo: “Ah, como sou grande!”
algumas pessoas
inclinam seu corpo dando-se à outras como burro de carga.

 

algumas pessoas
gravam seu nome nas pedras a dizer: “imortais”;
algumas pessoas
desejam ser grama, esperando o cair da próxima queimada.

 

algumas pessoas
vivendo outros já não podem viver;
algumas pessoas
vivendo em função do frutificar alheio

 

os que guiam a cabeça do povo
o povo os depõe
os que se tornam, do povo, burro de carga
serão eternamente lembrados

 

os que cavam seu nome na pedra
seu nome se decompõe mais velozmente que um cadáver
só é preciso o soprar da brisa da primavera
em toda parte verdeja a grama

 

daquele que vivo impede a vida alheia
seu fado pode ser visto
aquele que vivo fortalece a vida alheia
a massa o infla, alto, bem alto.

 

*Reproduzido de https://www.revistas.usp.br , tradução de Milena de Moura Barba

Zang Kiejan (1905-2004), poeta da China


Voltar  

Confira também nesta seção:
24.09.18 16h00 » Benjamin Sanches
21.09.18 18h00 » Bruna Mitrano
19.09.18 18h00 » John Ashbery
17.09.18 17h00 » Marcos Quinan
14.09.18 18h00 » Marcelo Sandmann
12.09.18 17h00 » Natalia Barros
10.09.18 17h00 » Mauro Salles
07.09.18 18h00 » Max Jacob
05.09.18 18h00 » Eduardo Lacerda
03.09.18 17h23 » Lívia Bertges
31.08.18 17h00 » Jennifer Franklin
29.08.18 17h27 » Sergio Cohn
27.08.18 17h00 » Jorge Medauar
24.08.18 17h48 » Edimilson Almeida
22.08.18 18h00 » Maria Lúcia Dal Farra
20.08.18 18h00 » Tiago Malta
17.08.18 18h00 » Juliana Bernardo
15.08.18 18h00 » Andrei Dosa
13.08.18 18h00 » António Osório
10.08.18 18h00 » Alécio Cunha

Agenda Cultural

Veja Mais

Newsletter

Preencha o formulário abaixo para receber nossa newsletter:

  • Nome:

  • Email:

  • assinar

  • cancelar


Copyright © 2012 Tyrannus Melancholicus - Todos os direitos reservadosTrinix Internet