POESIA

Moisés Carlos Amorim

Canção do Vento*

 

Um dia, serei a brisa que passa...
E o meu destino – correr para longe
percorrendo campos em flor...
Ah! ser elemento da natureza
irmão das águas e das pedras...
Ao luar, as árvores cobrirão meu
corpo aéreo com as folhagens
ainda verdes. E dançaremos ao
amanhecer, enquanto na terra
descansam os seres grandes ou
pequenos... Então, oh! chuva,
no dia claro ou em hora sombria,
levarei minha dádiva como um
segredo – o ar puro da primavera.

 

*Reproduzido do livro "Entre dias e noites"

Moisés Carlos Amorim, poeta brasileiro


Voltar  

Confira também nesta seção:
22.10.18 17h00 » Charles Simic
19.10.18 18h46 » Mario Angel Quintero
17.10.18 18h00 » Geruza Zelnys
15.10.18 17h00 » Filipa Leal
12.10.18 18h39 » Javier Ávila
10.10.18 17h00 » Nelly Sachs
08.10.18 17h00 » Rosana Chrispim
05.10.18 17h00 » António Ramos Rosa
03.10.18 17h00 » Eileen Myles
01.10.18 17h30 » Adelaide Ivánova
28.09.18 17h00 » Cristina Campo
26.09.18 17h00 » Ana Paula Simonaci
24.09.18 16h00 » Benjamin Sanches
21.09.18 18h00 » Bruna Mitrano
19.09.18 18h00 » John Ashbery
17.09.18 17h00 » Marcos Quinan
14.09.18 18h00 » Marcelo Sandmann
12.09.18 17h00 » Natalia Barros
10.09.18 17h00 » Mauro Salles
07.09.18 18h00 » Max Jacob

Agenda Cultural

Veja Mais

Newsletter

Preencha o formulário abaixo para receber nossa newsletter:

  • Nome:

  • Email:

  • assinar

  • cancelar


Copyright © 2012 Tyrannus Melancholicus - Todos os direitos reservadosTrinix Internet