POESIA

Luís Avelima

Dois poemas*


Nada direi do que não conheço
Penteio os cabelos em desalinho
E espero-te na madrugada
Drogado de riso e pranto

 

Quando punimos a luz,
cegos, extraviamos a surpresa.
No silêncio das portas, mofo;
fechado em mim, o segredo.
Na casa, tudo tão vago.
Daria tudo, amor,
não ser somente o que sou

 

*Reproduzidos do livro Maismequer (1986)

Luís Avelima, poeta brasileiro

 


Voltar  

Confira também nesta seção:
22.07.19 13h00 » Jorge Riechmann
20.07.19 00h30 » Miguel Torga
17.07.19 19h00 » Jota Cavalcanti
15.07.19 09h00 » Kalaf Epalanga
12.07.19 21h00 » Rosa Alice Branco
10.07.19 17h30 » Salette Tavares
08.07.19 12h00 » Nizar Qabbani
05.07.19 21h00 » Joumana Haddad
03.07.19 18h15 » Joe Pereira
01.07.19 12h00 » Michael Hartnett
28.06.19 21h00 » W. S. Merwin
26.06.19 20h30 » Antonio Brasileiro
24.06.19 12h00 » Tin Ujevic
21.06.19 18h30 » Tássio Ribeiro
19.06.19 17h00 » Sebastião da Gama
17.06.19 12h00 » Bento Nascimento
14.06.19 21h30 » Eeva-Liisa Manner
12.06.19 20h00 » Bete Nascimento
10.06.19 12h00 » Nathan Zach
07.06.19 22h00 » Marianne Moore

Agenda Cultural

Veja Mais

Newsletter

Preencha o formulário abaixo para receber nossa newsletter:

  • Nome:

  • Email:

  • assinar

  • cancelar


Copyright © 2012 Tyrannus Melancholicus - Todos os direitos reservadosTrinix Internet