POESIA

John Ashbery

 

Cadeiras de aluguel*

 

Sabia-se muito pouco sobre qualquer coisa
antigamente. Era como o que é um vocalise
para uma sonata, as crianças à luz da ribalta
e água correndo sobre pedras
como se tivesse pressa para chegar a algum lugar.
É possível fazer piada sobre isso agora
que o período probatório já passou.
Não admitir estar no papel errado.


As velhas igrejas da América foram vistas como uma nova
filosofia de rivalidade:
jogando, sem, no entanto, serem parte do jogo.
Assim muitas coisas resistem, e ninguém
fica muito ansioso com elas: manchas
como moedas numa árvore que quem diabos
poderia ter previsto em sua época, afinal?
Fique aí só. Me chame de batatas
e sabão. Me chame de sabão e batatas.


A noiva do meu marido desejava que não fosse assim.
Aí vai.

 

*Reproduzido de https://escamandro.wordpress.com , tradução de Adriano Scandolara

John Ashbery (1927-2017), poeta dos EUA

 

 

 

 

 


Voltar  

Confira também nesta seção:
07.12.18 19h30 » Nydia Bonetti
05.12.18 18h00 » Oskar Pastior
03.12.18 11h00 » Marô Barbieri
30.11.18 18h00 » Lia Macruz
28.11.18 17h00 » Pedro Tiago
26.11.18 13h00 » Marize Castro
23.11.18 19h00 » Ramon Nunes Mello
21.11.18 18h00 » Thiago E.
19.11.18 11h00 » Elias José
16.11.18 19h00 » Lou Viana
14.11.18 18h00 » André Ladeia
12.11.18 16h00 » Karin Boye
09.11.18 19h00 » Marcelino dos Santos
07.11.18 18h00 » Albert Ehrenstein
05.11.18 16h00 » Halina Poswiatowska
02.11.18 18h00 » Cintio Vitier
31.10.18 17h44 » Adri Aleixo
29.10.18 17h00 » Francis Ponge
26.10.18 19h00 » Fernando José Karl
24.10.18 18h00 » Nicodemos Sena

Agenda Cultural

Veja Mais

Newsletter

Preencha o formulário abaixo para receber nossa newsletter:

  • Nome:

  • Email:

  • assinar

  • cancelar


Copyright © 2012 Tyrannus Melancholicus - Todos os direitos reservadosTrinix Internet