POESIA

Marcelo Ariel

Floresta circular*


coberta por um lençol de luz e tempo
visões do mar das formas
desenhadas no manto
de olhares extintos
flutuando na matéria escura
outra vez celestes
no cume silencioso
acima do céu
nume inacessível
de ininteligíveis estrelas
para onde vamos
ir e retornar
subir e afundar


perdidas as grandes sensações quando o tempo era
água imóvel
como o passado
invenção da investigação
de um sonho
que dissolve espaços e tempos
e também
este, distraído e intenso


pó de luz
que foge para o sono
sendo amor
que foge para o sonho.

 

*Reproduzido de https://www.revistaprosaversoearte.com

 

Marcelo Ariel, poeta brasileiro


Voltar  

Confira também nesta seção:
18.01.21 16h57 » Yin Lichuan
11.01.21 21h00 » Djalma Passos
04.01.21 22h00 » Manoel Mourivaldo Santiago-Almeida
28.12.20 21h37 » Três poemas evocando a passagem de ano
28.12.20 21h37 » Madson Costa
22.12.20 19h51 » Thiago da Costa Pereira
15.12.20 21h00 » Luiz Alberto Schwab de Mello
08.12.20 18h00 » Bruno Brum
01.12.20 19h18 » Cezário Pereira da Costa
24.11.20 19h00 » Meire Pedroso
17.11.20 17h21 » Marin Sorescu
10.11.20 20h00 » Hagar Peeters
03.11.20 16h30 » Gary Snyder
27.10.20 19h00 » Pádua Fernandes
20.10.20 19h00 » Catarina Lins
13.10.20 19h00 » Akiko Yosano
06.10.20 19h00 » Graça Pires
29.09.20 19h00 » Warsan Shire
22.09.20 21h00 » Wladimir Cazé
15.09.20 21h00 » Ernesto Manuel de Melo e Castro

Agenda Cultural

Veja Mais

Newsletter

Preencha o formulário abaixo para receber nossa newsletter:

  • Nome:

  • Email:

  • assinar

  • cancelar


Copyright © 2012 Tyrannus Melancholicus - Todos os direitos reservadosTrinix Internet