POESIA

Vivita Cartier

In pulvis*

(Inscrição para meu túmulo)

 

Aqui jazem os trágicos horrores
Do decompor sinistro da matéria;
Não te detenhas, pois, nesta miséria
Oh! Não deponha sobre a lousa flores...

Segue... é vazia esta mansão funérea;
Minh'alma paira além com seus fulgores,
Volve-te a ela, a ela manda flores
Através do pensar, com graça etérea.

Vai prescrutá-la em qualquer sítio lindo!
Ela é tão forte como o mar bramindo
E tem a suave tepidez dos ninhos...

Aspira-a, pois, nas brisas cariciantes
Desvenda-a nas estrelas cintilantes
Evoca-a no cantar dos passarinhos!

 

*Reproduzido de http://www.antoniomiranda.com.br

 

Vivita Cartier (1893-1919), poeta brasileira

 


Voltar  

Confira também nesta seção:
15.07.20 00h10 » Niels Hav
08.07.20 00h10 » Ian Curtis
01.07.20 00h01 » Max Martins
24.06.20 00h10 » Rachel Ventura Rabello
17.06.20 00h10 » Ruth Maier
10.06.20 00h10 » Amparo Osório
03.06.20 00h10 » Hector de Saint-Denys Garneau
27.05.20 00h10 » Henry David Thoreau
20.05.20 00h01 » Ana Cláudia Romano Ribeiro
13.05.20 10h00 » Ana Guadalupe
06.05.20 10h00 » Gustavo Jugend
29.04.20 10h00 » Diego Wayne
22.04.20 00h01 » Alda Lara
15.04.20 16h00 » Eliane Potiguara
08.04.20 18h05 » Zé Bolo Flô
01.04.20 19h00 » Alexandra Vieira de Almeida
25.03.20 19h00 » Gilberto Nable
19.03.20 00h10 » Horacio Castillo
12.03.20 18h10 » Cinthia Kriemler
05.03.20 18h00 » Eunice Arruda

Agenda Cultural

Veja Mais

Últimas Notícias

Mais Notícias

Newsletter

Preencha o formulário abaixo para receber nossa newsletter:

  • Nome:

  • Email:

  • assinar

  • cancelar


Copyright © 2012 Tyrannus Melancholicus - Todos os direitos reservadosTrinix Internet