POESIA

W. S. Merwin

Quando partes* 

 

Quando o vento roda para o norte 
Os pintores trabalham todo o dia mas ao sol-pôr a tinta cai 
Descobrindo as paredes negras 
O relógio bate repetidamente a mesma hora 
Que não tem lugar nos anos 

E à noite acobertado na cama de cinzas 
Acordo de repente 
É a altura em que a barba dos mortos está a crescer 
Eu recordo que caio 
Que sou o culpado 
E que as minhas palavras revestem o que nunca serei 
Como a manga enrolada de um rapaz sem braço.

 

*Reproduzido de http://arspoeticaethumanitas.blogspot.com , com tradução de José Alberto Oliveira


William Stanley Merwin (1927-2019), poeta dos Estados Unidos 


Voltar  

Confira também nesta seção:
01.07.20 00h01 » Max Martins
24.06.20 00h10 » Rachel Ventura Rabello
17.06.20 00h10 » Ruth Maier
10.06.20 00h10 » Amparo Osório
03.06.20 00h10 » Hector de Saint-Denys Garneau
27.05.20 00h10 » Henry David Thoreau
20.05.20 00h01 » Ana Cláudia Romano Ribeiro
13.05.20 10h00 » Ana Guadalupe
06.05.20 10h00 » Gustavo Jugend
29.04.20 10h00 » Diego Wayne
22.04.20 00h01 » Alda Lara
15.04.20 16h00 » Eliane Potiguara
08.04.20 18h05 » Zé Bolo Flô
01.04.20 19h00 » Alexandra Vieira de Almeida
25.03.20 19h00 » Gilberto Nable
19.03.20 00h10 » Horacio Castillo
12.03.20 18h10 » Cinthia Kriemler
05.03.20 18h00 » Eunice Arruda
27.02.20 17h00 » Ashraf Fayadh
20.02.20 18h00 » Ângela Coradini

Agenda Cultural

Veja Mais

Últimas Notícias

Mais Notícias

Newsletter

Preencha o formulário abaixo para receber nossa newsletter:

  • Nome:

  • Email:

  • assinar

  • cancelar


Copyright © 2012 Tyrannus Melancholicus - Todos os direitos reservadosTrinix Internet