POESIA

Jota Cavalcanti

Direito Autoral*

 

Tudo que já escrevi
soa como mortos e feridos
nesta batalha
que é a vida

 

Vida vidraça
estranha ou não
sedenta por pedradas
e versos

 

E as coisas
que nunca jamais escrevi
estão na fila
acampadas remotamente

 

Quando eu for
escrever um novo poema
acho que devo avisar
antes de mais nada

 

Vai que alguém que passa
os olhos por aqui
redescobre a poesia
que deixou de fazer um dia?

 

*Poema enviado pelo autor, via email

Jota Cavalcanti, poeta brasileiro


Voltar  

Confira também nesta seção:
08.07.20 00h10 » Ian Curtis
01.07.20 00h01 » Max Martins
24.06.20 00h10 » Rachel Ventura Rabello
17.06.20 00h10 » Ruth Maier
10.06.20 00h10 » Amparo Osório
03.06.20 00h10 » Hector de Saint-Denys Garneau
27.05.20 00h10 » Henry David Thoreau
20.05.20 00h01 » Ana Cláudia Romano Ribeiro
13.05.20 10h00 » Ana Guadalupe
06.05.20 10h00 » Gustavo Jugend
29.04.20 10h00 » Diego Wayne
22.04.20 00h01 » Alda Lara
15.04.20 16h00 » Eliane Potiguara
08.04.20 18h05 » Zé Bolo Flô
01.04.20 19h00 » Alexandra Vieira de Almeida
25.03.20 19h00 » Gilberto Nable
19.03.20 00h10 » Horacio Castillo
12.03.20 18h10 » Cinthia Kriemler
05.03.20 18h00 » Eunice Arruda
27.02.20 17h00 » Ashraf Fayadh

Agenda Cultural

Veja Mais

Últimas Notícias

Mais Notícias

Newsletter

Preencha o formulário abaixo para receber nossa newsletter:

  • Nome:

  • Email:

  • assinar

  • cancelar


Copyright © 2012 Tyrannus Melancholicus - Todos os direitos reservadosTrinix Internet