VERSO

Eunice Arruda

As poetisas*

 

Elas se amparam

Em papéis
palavras
no brilho
Faca cortando as águas

Os homens
tentam entendê-las
com abraços mágicos
colares
Elas dão poemas
filhos
sombra
e outras possibilidades de abrir
clareiras na floresta

Os homens riscam suas peles
com carinhos beijos
profundos

Mas
elas se amparam
estão
sempre atentas
à bifurcação dos caminhos
à mudança de lua

Os homens as confundem, às
vezes
com mulher

 

*Reproduzido de http://www.algumapoesia.com.br/

eunice arruda

Eunice Carvalho de Arruda (1939-2017) nasceu em Santa Rita do Passa Quatro (SP). Formou-se em Serviço Social, em São Paulo, e fez pós-graduação em Comunicação e Semiótica. Além de publicar cerca de 15 livros de poesia, foi intensa articuladora, participando de inúmeras iniciativas voltadas para o verso. Foi ativista da União Brasileira dos Escritores

 

 

 

 

 

 

 

 

 


Voltar  

Confira também nesta seção:
27.10.20 19h00 » Pádua Fernandes
20.10.20 19h00 » Catarina Lins
13.10.20 19h00 » Akiko Yosano
06.10.20 19h00 » Graça Pires
29.09.20 19h00 » Warsan Shire
22.09.20 21h00 » Wladimir Cazé
15.09.20 21h00 » Ernesto Manuel de Melo e Castro
08.09.20 20h00 » Martin Jankowski
01.09.20 22h50 » Conceição Evaristo
26.08.20 00h01 » Sousândrade
19.08.20 00h01 » Eduard Traste
12.08.20 00h01 » Carlos Orfeu
05.08.20 00h10 » Emílio Moura
29.07.20 00h01 » Josefina Pla
22.07.20 00h06 » Andréa Catrópa
15.07.20 00h10 » Niels Hav
08.07.20 00h10 » Ian Curtis
01.07.20 00h01 » Max Martins
24.06.20 00h10 » Rachel Ventura Rabello
17.06.20 00h10 » Ruth Maier

Agenda Cultural

Veja Mais

Newsletter

Preencha o formulário abaixo para receber nossa newsletter:

  • Nome:

  • Email:

  • assinar

  • cancelar


Copyright © 2012 Tyrannus Melancholicus - Todos os direitos reservadosTrinix Internet