VERSO

Horacio Castillo

Arte poética*

 

Soltar a língua, de modo a que não trave o produto
que vem de dentro, motivado
por uma força superior
e pelo hábil jogo de rins e diafragma;
insistir pressionando os músculos
como que para expulsar
um cavalo ou um ciclope;
repetir o procedimento
provocando-o inclusive com os dedos
ou com um objeto picante,
até ficar vazio, apenas pele ressequida,
odre para pendurar na primeira árvore,
extenuada matriz do volátil, quiçá luminosa.

 

*Reproduzido de http://universosdesfeitos-insonia.blogspot.com/ , tradução de HBMF

CASTILLO

Horacio Castillo (1934-2010) nasceu na Argentina. Foi um premiado poeta, ensaísta e tradutor, que verteu para o espanhol diversas obras gregas


Voltar  

Confira também nesta seção:
18.01.21 16h57 » Yin Lichuan
11.01.21 21h00 » Djalma Passos
04.01.21 22h00 » Manoel Mourivaldo Santiago-Almeida
28.12.20 21h37 » Três poemas evocando a passagem de ano
28.12.20 21h37 » Madson Costa
22.12.20 19h51 » Thiago da Costa Pereira
15.12.20 21h00 » Luiz Alberto Schwab de Mello
08.12.20 18h00 » Bruno Brum
01.12.20 19h18 » Cezário Pereira da Costa
24.11.20 19h00 » Meire Pedroso
17.11.20 17h21 » Marin Sorescu
10.11.20 20h00 » Hagar Peeters
03.11.20 16h30 » Gary Snyder
27.10.20 19h00 » Pádua Fernandes
20.10.20 19h00 » Catarina Lins
13.10.20 19h00 » Akiko Yosano
06.10.20 19h00 » Graça Pires
29.09.20 19h00 » Warsan Shire
22.09.20 21h00 » Wladimir Cazé
15.09.20 21h00 » Ernesto Manuel de Melo e Castro

Agenda Cultural

Veja Mais

Newsletter

Preencha o formulário abaixo para receber nossa newsletter:

  • Nome:

  • Email:

  • assinar

  • cancelar


Copyright © 2012 Tyrannus Melancholicus - Todos os direitos reservadosTrinix Internet