VERSO

Alda Lara

Anúncio*

 

Trago os olhos naufragados
em poentes cor de sangue...

Trago os braços embrulhados
numa palma bela e dura
e nos lábios a secura
dos anseios retalhados...

Enrolada nos quadris
cobras mansas que não mordem
tecem serenos abraços...
E nas mãos, presas com fitas
azagaias de brinquedo
vão-se fazendo em pedaços...

Só nos olhos naufragados
estes poentes de sangue...

Só na carne rija e quente,
este desejo de vida!...

Donde venho, ninguém sabe
e nem eu sei...

Para onde vou
diz a lei
tatuada no meu corpo...

E quando os pés abram sendas
e os braços se risquem cruzes,
quando nos olhos parados
que trazem naufragados
se entornarem novas luzes...

Ah! Quem souber,
há-de ver
que eu trago a lei
no meu corpo...

 

*Reproduzido de http://adesalinhada.blogspot.com/

 

ALDA LARA

Alda Lara (1930-1962) foi uma poeta e contista de Angola, também médica. Morreu muito jovem e sua literatura só foi publicada postumamente

 

 


Voltar  

Confira também nesta seção:
18.01.21 16h57 » Yin Lichuan
11.01.21 21h00 » Djalma Passos
04.01.21 22h00 » Manoel Mourivaldo Santiago-Almeida
28.12.20 21h37 » Três poemas evocando a passagem de ano
28.12.20 21h37 » Madson Costa
22.12.20 19h51 » Thiago da Costa Pereira
15.12.20 21h00 » Luiz Alberto Schwab de Mello
08.12.20 18h00 » Bruno Brum
01.12.20 19h18 » Cezário Pereira da Costa
24.11.20 19h00 » Meire Pedroso
17.11.20 17h21 » Marin Sorescu
10.11.20 20h00 » Hagar Peeters
03.11.20 16h30 » Gary Snyder
27.10.20 19h00 » Pádua Fernandes
20.10.20 19h00 » Catarina Lins
13.10.20 19h00 » Akiko Yosano
06.10.20 19h00 » Graça Pires
29.09.20 19h00 » Warsan Shire
22.09.20 21h00 » Wladimir Cazé
15.09.20 21h00 » Ernesto Manuel de Melo e Castro

Agenda Cultural

Veja Mais

Newsletter

Preencha o formulário abaixo para receber nossa newsletter:

  • Nome:

  • Email:

  • assinar

  • cancelar


Copyright © 2012 Tyrannus Melancholicus - Todos os direitos reservadosTrinix Internet