Lucinda Persona

Pratos de Sopa


Os pratos de sopa
fumegavam
servidos à família
Uma concha de sopa
em cada prato
regulava nossas vidas
nem antes
nem depois do crepúsculo
Nesse horário
num ligeiro abrir e fechar de porta
ou num pisca de olhos
uma sombra entrava na casa
uma sombra entrava na carne
Complicando um pouco as coisas
escuridão e carne eram uma só coisa

(dormíamos)

            O sono igual matérias
            que completamente diferem.


Lucinda Persona, poeta de Mato Grosso

Voltar  

Confira também nesta seção:
17.01.22 20h11 » Betty Chiz
10.01.22 20h00 » Amarildo Anzolin
28.12.21 20h18 » Ferreira Gullar
21.12.21 17h00 » Luiza Mussnich
13.12.21 17h34 » Alceu Valença
06.12.21 19h00 » Samantha Abreu
29.11.21 20h00 » Túlio Paniago
22.11.21 18h36 » Danilo Zanirato
15.11.21 20h00 » Nenêto de Arruda e Sá
08.11.21 19h00 » Pedro Eiras
01.11.21 17h00 » Langston Hughes
25.10.21 14h44 » Manuela Margarido
18.10.21 22h24 » Nigar Arif
11.10.21 19h00 » Franklin Cassiano
04.10.21 18h32 » Agustín García Calvo
27.09.21 17h47 » Eunice de Souza
20.09.21 16h08 » Marina Taborelli e Silva
13.09.21 16h54 » Lourembergue Alves
06.09.21 17h58 » Alberto Pucheu
30.08.21 19h00 » Isabela Vannucchi

Agenda Cultural

Veja Mais

Últimas Notícias

Mais Notícias

Newsletter

Preencha o formulário abaixo para receber nossa newsletter:

  • Nome:

  • Email:


  • assinar

  • cancelar


Copyright © 2012 Tyrannus Melancholicus - Todos os direitos reservadosTrinix Internet