POESIA

Jade Rainho

Pássaro perdido

Pássaro perdido,
a tua casa é o infinito
nosso voo, sem sentido,
é mais além...

Seremos sempre bons amigos
eu, o vento, teu abrigo,
tu'Alma migrante,
meu sonhar

Não tenhas medo, pequenino,
um sonho é asas pro destino
não ter certezas é ser livre

Vamos voar!
(não precisamos ter onde chegar)

E nesse céu, sopro contigo
um reencontro
mais tranquilo
de encher os olhos
em nova paisagem
para descansar

Pássaro amigo,
não há um sonho sem abrigo, um mar
sem brisa pra levar...

E quando te sentires só,
pequenino,

lembras que és

tão passageiro e leve

um passarinho breve

de canto e voo tão bonitos

que não há olhar capaz

de em ti pousar

sem libertar uma alegria

um brilho terno

por te acompanhar


Jade Rainho, poeta brasileira


Voltar  

Confira também nesta seção:
21.09.17 17h30 » John Mateer
19.09.17 18h00 » Henri Meschonnic
17.09.17 17h30 » Ida Vitale
15.09.17 18h11 » Matheus Guménin Barreto
13.09.17 18h22 » Homero Aridjis
11.09.17 18h50 » J. B. Sayeg
09.09.17 18h50 » Paulo Lins
07.09.17 18h26 » Nicolás Guillén
05.09.17 19h30 » Caio Augusto Ribeiro
03.09.17 19h53 » João Alphonsus
01.09.17 19h30 » Marien Calixte
30.08.17 19h25 » David Rowbotham
28.08.17 20h00 » Lúcio Cardoso
26.08.17 20h00 » Maíra Ferreira
24.08.17 20h00 » Adrienne Rich
22.08.17 20h00 » Anna Świrszczyńska
20.08.17 19h06 » Olav H. Hauge
18.08.17 20h00 » Bashir Sakhawarz
16.08.17 20h00 » Augusto Massi
14.08.17 20h00 » Virgil Mazilescu

Agenda Cultural

Veja Mais

Newsletter

Preencha o formulário abaixo para receber nossa newsletter:

  • Nome:

  • Email:

  • assinar

  • cancelar


Copyright © 2012 Tyrannus Melancholicus - Todos os direitos reservadosTrinix Internet