POESIA

J. B. Sayeg

Poesia sem peso*

O tempo não está assim
para a poesia leve,
está mais para leviana,
não está para a poesia fezes,
ou muito sacana,
nem de centro de cidade,
mas de periferia,
uma poesia assim
bem suburbana,
um pouco longe do campo,
sem os grandes problemas
do homem,
não muito iluminada,
apenas uma luz;
de pirilampo.



*Reproduzida de http://www.antoniomiranda.com.br

J.B. Sayeg (1934-2007), poeta brasileiro


Voltar  

Confira também nesta seção:
17.06.18 18h00 » Gyula Illyés
15.06.18 17h53 » Guapo
13.06.18 18h00 » Aglaja Veteranyi
11.06.18 18h00 » Prisca Agustoni
09.06.18 17h59 » Miguel Martins
07.06.18 18h00 » Tove Jansson
05.06.18 17h17 » José Araújo
03.06.18 18h00 » Ataol Behramoglu
01.06.18 17h20 » João Apolinário
30.05.18 18h00 » Luis Cernuda
28.05.18 17h45 » Novalis
26.05.18 17h56 » Corsino Fortes
24.05.18 17h45 » Amauri Lobo
22.05.18 18h00 » Dante Milano
20.05.18 17h41 » Itamar Assumpção
18.05.18 17h34 » Dick Marques
16.05.18 18h00 » Haydar Ergulen
14.05.18 18h00 » Reiner Kunze
12.05.18 18h00 » Maria Balé
10.05.18 18h00 » Rui Knopfli

Agenda Cultural

Veja Mais

Newsletter

Preencha o formulário abaixo para receber nossa newsletter:

  • Nome:

  • Email:

  • assinar

  • cancelar


Copyright © 2012 Tyrannus Melancholicus - Todos os direitos reservadosTrinix Internet