POESIA

Homero Aridjis

Os anjos fitam-nos*

No quarto,
eis-nos fitados pelos anjos
ou melhor, perscrutam-nos,
como se houvesse gato escondido
nos nossos olhos.
E beijam-nos, os anjos,
com lábios
tomados por um invencível
impostergável amor.
E medem-nos o corpo,
os anjos, tal como quem
toma as medidas
da mortalha necessária.
Os anjos observam-nos
como se fôssemos já seus
com os dentes amarelos
da sua cara famélica.
Lá fora,
um ciclista parecido comigo
atravessa a noite.


*Reproduzido de https://revistacaliban.net , com tradução de Antonio Cabrita

Homero Aridjis, poeta do México


Voltar  

Confira também nesta seção:
21.06.18 18h00 » Lya Luft
19.06.18 18h00 » Rolando Toro
17.06.18 18h00 » Gyula Illyés
15.06.18 17h53 » Guapo
13.06.18 18h00 » Aglaja Veteranyi
11.06.18 18h00 » Prisca Agustoni
09.06.18 17h59 » Miguel Martins
07.06.18 18h00 » Tove Jansson
05.06.18 17h17 » José Araújo
03.06.18 18h00 » Ataol Behramoglu
01.06.18 17h20 » João Apolinário
30.05.18 18h00 » Luis Cernuda
28.05.18 17h45 » Novalis
26.05.18 17h56 » Corsino Fortes
24.05.18 17h45 » Amauri Lobo
22.05.18 18h00 » Dante Milano
20.05.18 17h41 » Itamar Assumpção
18.05.18 17h34 » Dick Marques
16.05.18 18h00 » Haydar Ergulen
14.05.18 18h00 » Reiner Kunze

Agenda Cultural

Veja Mais

Newsletter

Preencha o formulário abaixo para receber nossa newsletter:

  • Nome:

  • Email:

  • assinar

  • cancelar


Copyright © 2012 Tyrannus Melancholicus - Todos os direitos reservadosTrinix Internet