LIVRO/LANÇAMENTO

Um tema bastante necessário



noticias miolo

 

"Jornalismo e notícias falsas: relações cordiais". É o livro de Paulo da Rocha Dias, escritor, jornalista e professor da UFMT, lançado há poucos dias. O tema é excelente e necessário. Cai muito bem para esta época pré-eleitoral, quando nos aproximamos de uma disputa acirrada. 

O surgimento, as causas e os efeitos das notícias falsas na vida de cada dia tanto dos indivíduos como da sociedade são as questões explicadas neste livro. Os primeiros estudos sobre notícias falsas surgiram na Alemanha do século XVII. Duzentos anos depois de ter Johannes Gutenberg inventado a tipografia, a leitura se tornou parte essencial e indispensável da vida das pessoas a ponto de ser considerada um “vício” por aqueles que se espaventam com as novas tecnologias. 

O desespero diante do “vício da leitura” se justificava na época porque os “novos jornais” espalhavam muitas notícias falsas. Então, o combate ao jornalismo nascente tornou-se intenso e as notícias falsas por eles divulgadas eram consideradas pelos teólogos da época um grave pecado contra Deus, contra o Estado e contra o próximo. Os juristas não hesitavam em propor a pena de morte para quem publicasse e para quem distribuísse esses “novos jornais”. 

E esse fenômeno pós-Gutenberg ressurge hoje como algo pós-internet, mas intimamente conectado ao seu passado no jornalismo. Eis o que demonstra o novo livro de Rocha Dias.

Este livro é pioneiro nos estudos das relações entre jornalismo e notícias falsas. A reedição do fenômeno “notícias falsas” por meio do uso das tecnologias digitais provocou uma profunda revisão dos estudos de História, Política, Jornalismo e Comunicação Social. Não se trata de uma apologia ao jornalismo e nem de uma condenação das notícias falsas. Trata-se de uma crítica ao jornalismo por se agarrar a três substantivos – objetividade, neutralidade e imparcialidade – e usá-los para enganar-se a si mesmo e aos leitores. 

O release disponível na Insular, editora da obra, também destaca uma triste realidade. Que a notícia falsa é filha legítima do Jornalismo, da História, da Política e da Comunicação Social, pois estes campos de saber e de atuação na vida cotidiana mentem.

Importante frisar que o livro surgiu como resultado de projeto de pesquisa vinculado ao Departamento de Comunicação Social da Faculdade de Comunicação e Artes (FCA-UFMT).

O autor

Paulo da Rocha Dias é professor do curso de jornalismo da Universidade Federal de Mato Grosso. Com vasta atuação na imprensa diária e no magistério superior, é bacharel pela Cásper Líbero, a primeira escola superior de jornalismo do Brasil. Depois, fez mestrado e doutorado em Comunicação Social na Universidade Metodista de São Paulo – UMESP – sob orientação do Prof. José Marques de Melo. É também bacharel em Letras pela Universidade Federal de Santa Catarina. Atua no ensino e na pesquisa em jornalismo há vinte e cinco anos tendo já publicado seis livros, resultado de pesquisas desenvolvidas na UFMT. 

Em 2020 o tyrannus publicou texto sobre o livro "O obituário no jornalismo", também de autoria de Rocha Dias, em parceria com Aparecido Santos do Carmo. Confira no link abaixo...

 https://www.tyrannusmelancholicus.com.br/noticias/12900/o-obitua-rio-no-jornalismoa

paulo

Paulo da Rocha Dias é professor do curso de jornalismo da UFMT. Acumula experiências também na imprensa, tem mestrado e doutorado em comunicação social, é bacharel em letras e já publicou seis livros

 

 

(*com assessoria)

 

SERVIÇO

O QUE: lançamento do livro "Jornalismo e notícias falsas: relações cordiais", de Paulo da Rocha Dias
ONDE: Editora Insular 
LINK: https://insular.com.br/produto/jornalismo-e-noticias-falsas-relacoes-cordiais/
DIRETO COM O AUTOR: via whatsapp 65 99932 2640

 


Voltar  

Agenda Cultural

Veja Mais

Newsletter

Preencha o formulário abaixo para receber nossa newsletter:

  • Nome:

  • Email:


  • assinar

  • cancelar


Copyright © 2012 Tyrannus Melancholicus - Todos os direitos reservadosTrinix Internet