VERSO

Lua Lacerda

meia-noite*

 

no céu do sertão
todas as estrelas
estão vivas agora

no chão seco
flores de primavera
são andróginas

no breu
a mata me espia
trocar de pele
a caatinga guarda
seus segredos
e me seduz

cometas estranham
galáxias escuras:
todas as estrelas
estão na terra

seres humanos
não são mulheres
mas corpos celestes
formando constelações

 

*Poema reproduzido da revista Cândido, da Biblioteca Pública do Paraná - https://www.bpp.pr.gov.br/Candido

 

divulgação

lua

Lua Lacerda nasceu em Cajazeiras (PB) e vive em João Pessoa, onde cursa (ou já se formou) em Jornalismo na UFPB, com foco em estudos culturais, análise e teoria crítica. Seu primeiro livro de poesia, "redemunho", foi publicado em 2020 pela Editora UFPB. Seus poemas têm sido publicados em diferentes endereços virtuais

 

 


Voltar  

Confira também nesta seção:
16.05.22 17h30 » Renée Ferrer
09.05.22 17h26 » Pedro Vale
02.05.22 14h33 » Jessica Stori
25.04.22 17h43 » Bianca Barbosa
19.04.22 08h00 » Erro de português
19.04.22 00h10 » Kiara Baco Anhôn
08.04.22 16h41 » Cuiabanália
22.03.22 19h36 » Emilio Villa
14.03.22 18h32 » Lua Lacerda
07.03.22 17h14 » Eliete Borges
07.03.22 17h14 » Instruções de bordo*
28.02.22 17h20 » Naomi Shihab Nye
21.02.22 18h00 » Arthur Santos
14.02.22 18h00 » Zeh Gustavo
07.02.22 20h55 » Clarissa Macedo
31.01.22 19h37 » Boécio
24.01.22 18h48 » Al Berto
17.01.22 20h11 » Betty Chiz
10.01.22 20h00 » Amarildo Anzolin
28.12.21 20h18 » Ferreira Gullar

Agenda Cultural

Veja Mais

Últimas Notícias

Mais Notícias

Newsletter

Preencha o formulário abaixo para receber nossa newsletter:

  • Nome:

  • Email:


  • assinar

  • cancelar


Copyright © 2012 Tyrannus Melancholicus - Todos os direitos reservadosTrinix Internet