VERSO

20 haicais*



Olhe para o cuco
Que só canta, canta e voa
Que vida ocupada!


Ah, quanta saudade
De meu pai e minha mãe
Na voz do faisão.


Tormenta hibernal — 
O rosto do passante
Inchado e dolorido.


Ah, lua de outono —
Andando em volta do lago
Passei toda a noite.


Sandálias nos pés
E capa de chuva às costas —
O ano chega ao fim.


O gelo é amargo
Para o rato que no esgoto
Aplaca a sua sede


A libélula —
Sem conseguir se agarrar
A uma folha de capim.

 

Ah, lua cheia!
Nem mesmo um rosto bonito.
Entre os presentes

 

Quão glorioso,
Nas folhas verdes, folhas tenras,
O brilho do sol!

 

Vento cortante -
Se esconde em meio ao bambu
E desaparece.

 

Normalmente feios
Até os corvos ficam belos
Na manhã de neve.

 

Acenda o fogo
Que lhe mostro algo legal -
Uma grande bola de neve.

 

Ah, esta casa
Pica-paus vêm bicar 
Sua madeira.

 

Minha casa de sapê -
Será tempo de colheita
No mundo lá fora?

 

Chegou a primavera -
Uma montanha sem nome
Na névoa da manhã.


Cem anos de idade-
A paisagem das folhas
Caídas no jardim

 

As Cebolinhas
Lavadas e tão brancas
Que frio!

 

Não se esqueça
Do gosto de solidão
Do orvalho branco


Que tocante!
Debaixo da armadura 
Sai um grilo.

 

Vai-se a primavera!
Lágrimas no olho do peixe.
Choram as aves.

 

*Reproduzidos do site https://www.nippo.com.br/

bashô

Matsuo Bashô (1644 - 1694) nasceu em Tókio e morreu em Osaka. Foi o poeta mais famoso do período Edo no Japão (1603 - 1868). Sua poesia é reconhecida internacionalmente e, no Japão, muitos dos seus poemas são reproduzidos em monumentos e locais tradicionais. Foi ele quem codificou e estabeleceu os cânones do tradicional haikai japonês, forma poética caracterizada pela concisão o objetividade. Ganhava a vida como professor, mas renunciou à vida urbana e social dos círculos literários e ficou inclinado a vagar por todo o país, para ganhar inspiração para seus escritos. Seus poemas são influenciados pela experiência direta do mundo ao seu redor, muitas vezes englobando o sentimento de uma cena em alguns poucos elementos simples (informações do site https://www.revistaprosaversoearte.com/ )

 

 

 


Voltar  

Confira também nesta seção:
09.08.22 14h40 » Wilson Alves-Bezerra
02.08.22 21h00 » Marcos Fabrício Lopes da Silva
26.07.22 18h00 » A. M. Pires Cabral
18.07.22 18h00 » Vera Pedrosa
11.07.22 19h27 » Geoffrey Hill
11.07.22 19h27 » 20 haicais*
05.07.22 17h09 » Touro Sentado
27.06.22 20h28 » Gal Freire
20.06.22 15h58 » Michaela Schmaedel
13.06.22 18h08 » Sarah Valle
06.06.22 14h00 » Hu Xudong
30.05.22 14h15 » Carlos "Gato" Martínez
23.05.22 17h29 » Luis Dolhnikoff
16.05.22 17h30 » Renée Ferrer
09.05.22 17h26 » Pedro Vale
02.05.22 14h33 » Jessica Stori
25.04.22 17h43 » Bianca Barbosa
19.04.22 08h00 » Erro de português
19.04.22 00h10 » Kiara Baco Anhôn
08.04.22 16h41 » Cuiabanália

Agenda Cultural

Veja Mais

Newsletter

Preencha o formulário abaixo para receber nossa newsletter:

  • Nome:

  • Email:


  • assinar

  • cancelar


Copyright © 2012 Tyrannus Melancholicus - Todos os direitos reservadosTrinix Internet