INCLUSÃO QUILOMBOLA

Edital foi lançado na semana passada



luciana oliveira

quilombola miolo

Representantes da UFMT e da Seduc-MT se reuniram na semana passada para afinar a parceria

Remanescentes de comunidades quilombolas de Mato Grosso participarão de Processo Seletivo Específico na UFMT (Universidade Federal de Mato Grosso), com oferta de 145 vagas nos campi de Cuiabá, Araguaia, Várzea Grande e Sinop. A Secretaria de Estado de Educação (Seduc) será parceira no processo, divulgando as vagas para os estudantes e estimulando-os para esta possibilidade de ingresso no ensino superior.

As inscrições estão abertas desde a terça-feira (24), com encerramento previsto para 12 de junho. O edital, que faz parte do Programa de Inclusão Quilombola (Proinq) para estudantes que concluíram o ensino médio, ou que estejam concluindo até o dia da inscrição, foi publicado pela UFMT na semana passada.

Na última sexta-feira (20), em reunião na reitoria da UFMT, a superintendente de Diversidades Educacionais da Seduc, Lúcia Aparecida dos Santos, recebeu do reitor Evandro Soares o edital do processo seletivo, a resolução que aprova esta política por 10 anos e a minuta de cooperação técnica entre as duas instituições.

O reitor da UFMT Evandro Soares explicou a importância da participação da Secretaria para a efetiva inclusão destes estudantes na instituição. “A Seduc se colocou à disposição para nos ajudar, tanto na questão da prospecção, divulgando as vagas para os estudantes, como estimulando-os para esta possibilidade de ingresso na UFMT. Estamos muito felizes com esta contrapartida da Seduc”.

Os estudantes aptos a participar do programa devem ser remanescentes de comunidades quilombolas, grupos étnico-raciais, seguindo critérios definidos no Decreto 4.887/ 2003, de auto distribuição, com trajetória histórica própria, dotados de relações territoriais específicas, com presunção de ancestralidade negra relacionada com a resistência à opressão histórica sofrida.

Lúcia Aparecida dos Santos falou sobre a importância de participar do programa. “Acreditamos nesta política e nos sentimos honrados em estarmos no processo. São egressos da nossa educação básica, que precisam de mais visibilidade e, quando levamos a possibilidade da universidade aos quilombolas, estamos transformando vidas. Para nós, é muito importante, porque somos defensores também deste público, que é mais vulnerável e que somente precisa de uma oportunidade”, defende a superintendente.

A seleção dos candidatos aprovados vai obedecer à critérios de classificação, que contabilizarão as notas do candidato no ensino médio, seja através do histórico escolar, da análise de pontuação máxima, comparando os últimos 5 anos do Enem ou outras provas que o candidato tiver realizado.

O programa da UFMT está sendo retomado, pois, foi pioneiro no Brasil antes mesmo da Lei de Cotas. Agora a instituição se manifestou, através de seus Conselhos, pela sua retomada, diante da necessidade desta busca e da reparação social no Estado de Mato Grosso.

O pró-reitor de Ensino de Graduação (PROEG) da UFMT, Adelmo Carvalho da Silva, também participou do encontro, que contou ainda com a presença das representantes da Seduc, Maria Lecy, coordenadora de Educação no Campo e Quilombola, Luana Soares de Souza, técnica Pedagógica da área e a gestora de Projetos, Giovanna Anjul. (com assessoria da Seduc-MT)

 

Para mais informações sobre o edital, acesse o link 

https://cms.ufmt.br/files/publication/1/E7526d35feff8b708459990774490640580a1c129.pdf


Voltar  

Agenda Cultural

Veja Mais

Newsletter

Preencha o formulário abaixo para receber nossa newsletter:

  • Nome:

  • Email:


  • assinar

  • cancelar


Copyright © 2012 Tyrannus Melancholicus - Todos os direitos reservadosTrinix Internet