NO ORIENTE

Casa leiloeira da China abre em Hong Kong



Qi Baishi, artista moderno chinês, cuja obra esquentou o leilão

Nesta semana uma novidade agitou o mercado cultural do Oriente. A China Guardian, casa leiloeira mais antiga da China, chegou pra ficar a Hong Kong. E fez uma estrondosa noite de estreia, movimentando mais de 58 milhões de dólares em vendas. A cifra ultrapassou o dobro da estimativa.

A China Guardian optou por não ousar e leiloou trabalhos de aceitação no mercado, como a pintura moderna tradicional chinesa. O leilão contou com a participação de colecionadores de Hong Kong, mas os negócios da China preponderaram. Foi conduzido em mandarim, e não em inglês, como deveria ser em Hong Kong, cidade portuária.

O principal rival da Guardian, Poly Auctions, também chinesa, pretende se instalar em Hong Kong ainda em novembro. As casas de leilão da China são as terceiras e quartas maiores do mundo, atrás da Christie's e da Sotheby's.


Voltar  

Agenda Cultural

Veja Mais

Newsletter

Preencha o formulário abaixo para receber nossa newsletter:

  • Nome:

  • Email:


  • assinar

  • cancelar


Copyright © 2012 Tyrannus Melancholicus - Todos os direitos reservadosTrinix Internet