VERSO

Beth Brait Alvim

Pollock* 

Pollock estático e
a enorme tela
ofusca a outra do vídeo
cegueira
equilíbrio
na lasca de unha
rente ao fio transparente.
vermelho suor
rasga geometrias
arquitetadas de amarelo-sangue.
Sangria
Loucura
quase estertor
Pollock emporcalhado
noite e dia
em êxtase.
Prisma humano
sem limite
branco.

 

*Poema reproduzido do site http://www.antoniomiranda.com.br/

beth

Beth Brait Alvim nasceu em São Paulo e tem formação acadêmica em Letras. Tem poemas, contos, artigos e ensaios em inúmeras antologias, revistas e sites nacionais e internacionais. Atua como organizadora de antologias literárias e participa de eventos afins. Acumula também experiências como diretora de teatro e atriz

 


Voltar  

Confira também nesta seção:
09.08.22 14h40 » Wilson Alves-Bezerra
02.08.22 21h00 » Marcos Fabrício Lopes da Silva
26.07.22 18h00 » A. M. Pires Cabral
18.07.22 18h00 » Vera Pedrosa
11.07.22 19h27 » Geoffrey Hill
11.07.22 19h27 » 20 haicais*
05.07.22 17h09 » Touro Sentado
27.06.22 20h28 » Gal Freire
20.06.22 15h58 » Michaela Schmaedel
13.06.22 18h08 » Sarah Valle
06.06.22 14h00 » Hu Xudong
30.05.22 14h15 » Carlos "Gato" Martínez
23.05.22 17h29 » Luis Dolhnikoff
16.05.22 17h30 » Renée Ferrer
09.05.22 17h26 » Pedro Vale
02.05.22 14h33 » Jessica Stori
25.04.22 17h43 » Bianca Barbosa
19.04.22 08h00 » Erro de português
19.04.22 00h10 » Kiara Baco Anhôn
08.04.22 16h41 » Cuiabanália

Agenda Cultural

Veja Mais

Newsletter

Preencha o formulário abaixo para receber nossa newsletter:

  • Nome:

  • Email:


  • assinar

  • cancelar


Copyright © 2012 Tyrannus Melancholicus - Todos os direitos reservadosTrinix Internet