VERSO

Isabela Vannucchi

a estrela* 

 

cavalos partem 
da respiração do homem 
rumo às estrelas 
e a franqueza com que o brilho 
aloca-se no passado 
desvia o esvaziamento dos pulmões 
respirar é ato dos pés 
que afundam um milímetro 
ao redor do próximo futuro 
da estrela 
a mão mantém-se 
seiva contígua 
até perceber-se 
senhora do peso 
que ocupa 
o silêncio 

 

*Reproduzido do jornal Cândido, da Biblioteca Pública do Paraná https://www.bpp.pr.gov.br/Candido/

divulgação

vannucchi

Isabela Romeiro Vannucchi é natural de Dourado (SP) e atualmente vive no Rio de Janeiro. É amante das artes e dos artistas. Já se aventurou pela fotografia, mas a literatura é seu destino inevitável. Já lançou "A Terça Fresta", livro de estreia, e o poema reproduzido aqui é do livro "A cor da gema", obra vencedora do Prêmio Biblioteca Digital, promovido pela BPP e disponível gratuitamente em e-book

 

 

 

 


Voltar  

Confira também nesta seção:
16.05.22 17h30 » Renée Ferrer
09.05.22 17h26 » Pedro Vale
02.05.22 14h33 » Jessica Stori
25.04.22 17h43 » Bianca Barbosa
19.04.22 08h00 » Erro de português
19.04.22 00h10 » Kiara Baco Anhôn
08.04.22 16h41 » Cuiabanália
22.03.22 19h36 » Emilio Villa
14.03.22 18h32 » Lua Lacerda
07.03.22 17h14 » Eliete Borges
07.03.22 17h14 » Instruções de bordo*
28.02.22 17h20 » Naomi Shihab Nye
21.02.22 18h00 » Arthur Santos
14.02.22 18h00 » Zeh Gustavo
07.02.22 20h55 » Clarissa Macedo
31.01.22 19h37 » Boécio
24.01.22 18h48 » Al Berto
17.01.22 20h11 » Betty Chiz
10.01.22 20h00 » Amarildo Anzolin
28.12.21 20h18 » Ferreira Gullar

Agenda Cultural

Veja Mais

Últimas Notícias

Mais Notícias

Newsletter

Preencha o formulário abaixo para receber nossa newsletter:

  • Nome:

  • Email:


  • assinar

  • cancelar


Copyright © 2012 Tyrannus Melancholicus - Todos os direitos reservadosTrinix Internet