Samuel Beckett


Poema de amor


a dizer outra vez
se não me ensinares eu não aprendo
a dizer outra vez que há uma última vez
mesmo para as últimas vezes
últimas vezes em que se implora
últimas vezes em que se ama
em que se sabe e não se sabe em que se finge
uma última vez mesmo para as últimas vezes em que se diz
se não me amares eu não serei amado
se eu não te amar eu não amarei


palavras rançosas a revolver outra vez no coração
amor amor amor pancada da velha batedeira
pilando o soro inalterável
das palavras


aterrorizado outra vez
de não amar
de amar e não seres tu
de ser amado e não ser por ti
de saber e não saber e fingir
e fingir


eu e todos os outros que te hão-de amar
se te amarem


Samuel Beckett, poeta irlandês (1906-1989)

Voltar  

Confira também nesta seção:
27.06.22 20h28 » Gal Freire
20.06.22 15h58 » Michaela Schmaedel
13.06.22 18h08 » Sarah Valle
06.06.22 14h00 » Hu Xudong
30.05.22 14h15 » Carlos "Gato" Martínez
23.05.22 17h29 » Luis Dolhnikoff
16.05.22 17h30 » Renée Ferrer
09.05.22 17h26 » Pedro Vale
02.05.22 14h33 » Jessica Stori
25.04.22 17h43 » Bianca Barbosa
19.04.22 08h00 » Erro de português
19.04.22 00h10 » Kiara Baco Anhôn
08.04.22 16h41 » Cuiabanália
22.03.22 19h36 » Emilio Villa
14.03.22 18h32 » Lua Lacerda
07.03.22 17h14 » Eliete Borges
07.03.22 17h14 » Instruções de bordo*
28.02.22 17h20 » Naomi Shihab Nye
21.02.22 18h00 » Arthur Santos
14.02.22 18h00 » Zeh Gustavo

Agenda Cultural

Veja Mais

Newsletter

Preencha o formulário abaixo para receber nossa newsletter:

  • Nome:

  • Email:


  • assinar

  • cancelar


Copyright © 2012 Tyrannus Melancholicus - Todos os direitos reservadosTrinix Internet